Efeitos do medo do crime na rotina e na saúde mental de adolescentes moradores da periferia de Belém (PA)

  • Rosália do Socorro Silva Corrêa Universidade da Amazônia
  • Jane Farias Ferreira Universidade da Amazônia
  • Maria Lúcia Bahia Lopes Universidade da Amazônia
  • Fabrício Khoury Rebello Universidade Federal Rural da Amazônia
Palavras-chave: Medo do crime, Adolescentes, Violência urbana, Insegurança pública

Resumo

Neste artigo, apresenta-se o resultado de um estudo exploratório realizado com o objetivo de verificar de que forma o medo do crime provoca mudanças de rotina e afeta a saúde mental dos adolescentes, estudantes e moradores de bairros da periferia de Belém, capital do estado do Pará, onde as ocorrên­cias criminais são frequentes, e os adolescentes convivem rotineiramente com situações violentas. Os resultados derivaram da primeira parte de uma pesquisa sobre violência urbana, que se estenderá para outros bairros, em busca de novas estratégias criadas pelos adolescentes para en­frentar o medo do crime, que resulta da insegurança pública. Percebe-se que o medo está alterando a rotina e hábitos de convivência social dos adolescentes, bem como afetando a saúde mental, mas, também potencializando recursos de prevenção e proteção contra o crime, para evitar esse sentimento.

Biografia do Autor

Rosália do Socorro Silva Corrêa, Universidade da Amazônia
Doutora em Sociologia pela UFPB-PB (2008); Mestre em Ciência Política pelo IUPERJ-RJ; Especialista em Ciência Política pela UFPA-PA; Pesquisadora e Professora Titular Pós-Stricto Sensu I do Programa de Mestrado e Doutorado em Desenvolvimento e Meio Ambiente Urbano da Universidade da Amazônia- UNAMA (Belém-PA).
Jane Farias Ferreira, Universidade da Amazônia
Especialista em Educação Classe I da Secretaria de Educação do Estado do Pará. Pesquisadora do Grupo de Estudo e Pesquisas Pedagogia em Movimento GEPPEM/UEPA. Possui Graduação em Pedagogia pela Universidade da Amazônia - UNAMA ; Especialização em Docência do Ensino Superior pelo Centro de Estudos Avançados do Pará - CESUPA. Mestre pelo Programa de Mestrando em Desenvolvimento Meio Ambiente Urbano da Universidade da Amazônia.
Maria Lúcia Bahia Lopes, Universidade da Amazônia
Graduação em Ciências Econômicas pela Universidade Federal do Pará (1989). Mestrado em Economia pela Universidade da Amazônia (2001) e Doutorado em Economia Aplicada pela Universidade Federal de Viçosa (2008). Atualmente é técnica científica V - Banco da Amazônia - Belém e professora do Mestrado em Desenvolvimento e Meio Ambiente Urbano da Universidade da Amazônia.
Fabrício Khoury Rebello, Universidade Federal Rural da Amazônia
Graduação em Economia pela Universidade da Amazônia (1990). Mestre em Agriculturas Amazônicas pela Universidade Federal do Pará (2004). Doutor em Ciências Agrárias (2012). Área de concentração em Agroecossistemas da Amazônia (UFRA/EMBRAPA Amazônia Oriental). Professor Adjunto II da Universidade Federal Rural da Amazônia, lotado no Instituto Socioambiental e dos Recursos Hídricos (ISARH), com atuação na graduação e pós-graduação.
Publicado
2019-09-20