Percepções sobre a sensação de segurança entre os brasileiros: investigação sobre condicionantes individuais

  • Gabriela Ribeiro Cardoso
  • Erni José Seibel
  • Felipe Mattos Monteiro
  • Ednaldo Aparecido Ribeiro
Palavras-chave: Sensação de segurança, Vitimização, Opinião pública.

Resumo

A vitimização e as percepções sobre a sensação de segurança podem ser concebidas como indicadores apropriados e de grande relevância para formulação, gestão e avaliação de políticas públicas. No debate sobre violência e criminalidade, diversos condicionantes são apontados como importantes para compreender os níveis do sentimento de segurança, tais como: o crescimento da criminalidade; o fenômeno da urbanização; a influência midiática que ressalta a espetacularização da violência; fatores culturais, como religião; atributos dos próprios indivíduos, como gênero, renda e idade; dentre outras características sociodemográficas. Este artigo objetiva analisar os condicionantes individuais que influenciam a percepção dos brasileiros sobre sua sensação de segurança no domicilio, no bairro e na cidade. Foram utilizados, como material empírico, os dados levantados pelo IBGE em sua segunda PNAD englobando o tema da vitimização, conduzida em 2009. A intenção aqui é identificar possíveis preditores ou condicionantes sociodemográficos da sensação de segurança nos três níveis mencionados. Para estimar esses fatores explicativos, empregou-se a técnica de regressão logística binária, levando em consideração os pesos definidos pelo IBGE para sua amostra complexa.

Biografia do Autor

Gabriela Ribeiro Cardoso
Mestre em Sociologia Política pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), pesquisadora do Núcleo Interdisciplinar em Políticas Públicas (Nipp).
Erni José Seibel
Doutor em Ciência Política pela Freie Universität Berlin, professor voluntário da Universidade Federal de Santa Catarina, coordenador do Núcleo Interdisciplinar em Políticas Públicas (Nipp).
Felipe Mattos Monteiro
Mestre em Sociologia Política pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), professor da Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS) e.
Ednaldo Aparecido Ribeiro
Doutor em Sociologia pela Universidade Federal do Paraná,  professor da Universidade Estadual de Maringá.
Publicado
2013-09-01