Homicídios dolosos na cidade de São Paulo: fatores associados à queda entre 2000 e 2010

  • Marcelo Batista Nery
  • Altay Alves Lino de Souza
  • Maria Fernanda Tourinho Peres
  • Nancy Cardia
  • Sérgio Adorno
Palavras-chave: Homicídio. Distribuição espacial. Distribuição temporal. Indicadores demográficos. Crime.

Resumo

Este artigo tem por objetivo analisar a relação entre a variabilidade espaço-temporal dos homicídios doloso e as características locais, no que diz respeito aos fatores etário, educacional, econômico, de infraestrutura, renda e gênero, bem como aos indícios de atividade criminosa organizada. Para tanto, foi feito um estudo quantitativo longitudinal, para o período 2000-2010, baseado em registros policiais de 2000 a 2008 e informações dos Censos de 1991, 2000 e 2010. Na perspectiva intraurbana, são utilizadas técnicas estatísticas bivariadas e multivariadas (Correlação Canônica) para identificar condicionantes da dinâmica dos homicídios dolosos no Município de São Paulo (MSP). Assim, indica-se que existem fatores que são associados com taxas de mortalidade por homicídio doloso (TMHD) e percebe-se que tais associações estão conectadas ao nível das taxas, sendo que alguns fatores são significativos em mais altos níveis de homicídios, mas perdem a sua significância à medida que as taxas caem, sendo esses fatores substituídos por outros quando as taxas alcançam um patamar específico, mais baixo - tornando adequado estabelecer análises em dois períodos, 2000 a 2004 e 2005 a 2010. Ademais, nota-se que em um contexto de TMHD mais baixas as variáveis sociodemográficas ganham importância e confirma-se a importância de analisar a dinâmica dos homicídios dolosos em função da heterogeneidade espacial paulistana (os padrões de distribuição territorial dos Setores Censitários) e de observações repetidas, ou seja, em um período relativamente extenso. Essa heterogeneidade, vista sob uma perspectiva longitudinal, evidencia os fatores associados à variabilidade das taxas de homicídios e o grau de influência dos fatores intraurbanos nas TMHD.

Biografia do Autor

Marcelo Batista Nery
Doutorando em Sociologia pela USP, mestre em Sensoriamento Remoto pelo Instituto Nacional dePesquisas Espaciais, consultor e pesquisador do Núcleo de Estudos da Violência (USP).
Altay Alves Lino de Souza
Doutor em Psicologia pela USP e pós-doutorado pelo Centro de Matemática, Computaçãoe Cognição da Universidade Federal do ABC (UFABC), pela Universidade de Toronto e pelo Departamento de Psicobiologia da UNIFESP. Pesquisador associado da UNIFESP e do Núcleo de Estudos da Violência (USP).
Maria Fernanda Tourinho Peres
Doutora em Saúde Pública pela Universidade Federal da Bahia, professora doutora do Departamento de Medicina Preventiva da Faculdade de Medicina (USP) e pesquisadora associada do Núcleo de Estudos da Violência (USP).
Nancy Cardia
Doutora em Psicologia Social pela London School of Economics and Political Science, consultora da Organização Mundial da Saúde na área da prevenção da violência e coordenadora-adjunta do Núcleo de Estudos da Violência (USP), do NEV/CEPID/FAPESP e do INCT-CNPq Democracia, Violência e Segurança Cidadã.
Sérgio Adorno
Doutor em Sociologia pela USP, com pós-doutorado pelo Centre de Recherches Sociologiques sur le Droit et les Institutions Pénales. Coordenador do Núcleo de Estudos da Violência (USP), diretor da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (USP) e coordenador da Cátedra UNESCO de Direitos Humanos, do NEV/CEPID/FAPESP e do INCT-CNPq Democracia, Violência e Segurança Cidadã.