"Se não aguentar, corra!": um estudo sobre a pedagogia do sofrimento em um curso policial militar

  • Fábio Gomes França
  • Janaína Letícia de Farias Gomes
Palavras-chave: Polícia militar, Segurança pública, Pedagogia do sofrimento

Resumo

Neste artigo analisam-se as nuances que nortearam o Estágio de Operações Táticas com Apoio de Motocicletas (Eotam), realizado por uma Polícia Militar no país em 2014. Para tanto, realizaram-se entrevistas abertas com alguns participantes do referido curso de aperfeiçoamento policial militar. Por esse foco, importou utilizar metodologicamente os relatos pretéritos, por meio da história oral, o que permitiu apreender relatos das experiências tanto de oficiais quanto de praças sobre as situações de humilhação e sofrimento físico vivenciadas, as quais ainda reproduzem a crença policial militar de que o sofrimento faz parte da conquista de um brevê militar. Ratifica-se a urgência dessa discussão no campo da segurança pública, visto que a lógica desse tipo de pedagogia carrega de forma implícita um ideal belicista que corrobora a existência da violência policial militar devido ao fato de os policiais enaltecerem valores como a masculinidade, a força e o machismo.

Biografia do Autor

Fábio Gomes França
Professor de Criminologia no Centro de Educação da Polícia Militar do Estado da Paraíba - PMPB. Doutor e mestre em Sociologia pela Universidade Federal da Paraíba - UFPB. Bacharel em Segurança Pública pelo Centro de Educação da PMPB. Professor convidado do Núcleo de Direitos Humanos e Cidadania da UFPB.
Janaína Letícia de Farias Gomes
Especialista em Segurança Pública pelo Centro de Educação da Polícia Militar do Estado da Paraíba - PMPB. Bacharela em Segurança Pública pelo Centro de Educação da PMPB.
Publicado
2015-10-02