Relações de gênero nas Guardas Municipais

  • Camila Costa Cardeal
  • Ludmila Mendonça Lopes Ribeiro
Palavras-chave: Segurança Pública. Relações de gênero. Guardas Municipais.

Resumo

Neste artigo, procuramos descortinar as relações de gênero no âmbito das Guardas Municipais, o que significa uma análise não das mulheres, mas de como elas são em comparação com os homens. Para tanto, optamos por escrutinar três dimensões: perfil profissional, condições de trabalho e assédio (moral e sexual). Os resultados indicam que a prometida igualdade entre homens e mulheres está longe de se materializar nas Guardas Municipais, dados o reduzido percentual do contingente feminino (em comparação com o masculino), a ausência de equipamentos de proteção individual específicos para as mulheres e as práticas de assédio que vitimizam essas profissionais em maiores percentuais.

Biografia do Autor

Camila Costa Cardeal
Mestranda em Administração Pública pela Fundação João Pinheiro - FJP. Pesquisadora do Núcleo de Estudos em Segurança Pública - NESP-FJP. Graduada em Ciências Sociais pela Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG
Ludmila Mendonça Lopes Ribeiro
Professora adjunta do Departamento de Sociologia - DSO e pesquisadora do Centro de Estudos de Criminalidade e Segurança Pública - CRISP, ambos da Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG. Doutora em Sociologia pelo Instituto Universitário de Pesquisas do Rio de Janeiro - IUPERJ. Mestre em Administração Pública pela Fundação João Pinheiro - FJP.
Publicado
2017-03-08