Impactos do acesso à informação sobre as percepções de adolescentes acerca da violência doméstica e familiar contra as mulheres

  • Yara Lopes Singulano Universidade Federal de Viçosa http://orcid.org/0000-0001-8589-8048
  • Karla Maria Damiano Teixeira Universidade Federal de Viçosa
Palavras-chave: Violência doméstica e familiar contra as mulheres, Acesso à informação, Educação em direitos humanos, Adolescentes

Resumo

O presente trabalho objetivou analisar em que medida o acesso à informação poderia impactar a percepção de adolescentes sobre o fenômeno da violência doméstica e familiar contra as mulheres, partindo-se da premissa de que ações educativas são eficientes para promover a prevenção desse tipo de violência. Para tanto, buscou-se, especificamente, auferir a opinião dos participantes a priori, bem como posteriormente à realização de uma oficina pedagógica, comparando-se seus posicionamentos nesses dois momentos. Sete adolescentes, alunos de uma escola pública do interior de Minas Gerais, foram entrevistados e responderam, ainda, um questionário em escala do tipo Likert, e suas respostas foram analisadas através do método de análise de conteúdo. Os resultados apontaram que ações pontuais que promovam o acesso à informação, como oficinas e palestras, têm sua eficácia limitada para alterar as percepções dos participantes; ou seja, são insuficientes para fomentar uma análise crítica acerca dos modelos sociais hegemônicos, como a organização patriarcal da família e a divisão sexual de tarefas, e sobre o próprio fenômeno da violência doméstica e familiar. Nesse sentido, pode-se concluir pela necessidade de inclusão das discussões sobre questões de gênero no cotidiano escolar, através de políticas educacionais que contemplassem toda a trajetória escolar dos indivíduos. Além disso, ficou evidenciado que o discurso midiático exerce uma influência significativa sobre a percepção dos adolescentes, tornando-se indispensável sensibilizar a mídia sobre o problema da violência de gênero, para que adote uma abordagem não-sexista e não-violenta.

Biografia do Autor

Yara Lopes Singulano, Universidade Federal de Viçosa
Advogada e mestra em Economia Doméstica pela Universidade Federal de Viçosa. 
Karla Maria Damiano Teixeira, Universidade Federal de Viçosa
PhD em Family and Child Ecology pela Michigan State University, Estados Unidos. Professora Associada 4 do Departamento de Economia Doméstica da Universidade Federal de Viçosa.
Publicado
2019-03-01