A arte de livrar

notas etnográficas sobre a defesa judicial pública no sistema de justiça criminal comum

  • Rafael Godoi Universidade de São Paulo
Palavras-chave: Audiência de instrução e julgamento, Defensoria pública, Sistema de justiça criminal, Etnografia, Cronotopo

Resumo

Neste trabalho etnográfico exploratório, descrevo e analiso um conjunto de práticas que perpassam as Audiências de Instrução e Julgamento (AIJ) que ocorrem numa vara criminal da cidade de São Paulo, destacando, e refletindo sobre, algumas das suas dimensões espaciais e temporais e, principalmente, sobre algumas estratégias e expedientes mobilizados pelo defensor público em seu trabalho cotidiano. Desse exercício resultam outras figurações da justiça criminal comum e, em particular, da defesa judicial pública.

Biografia do Autor

Rafael Godoi, Universidade de São Paulo
Mestre e doutor pelo Programa de Pós-Graduação em Sociologia (PPGS) da USP. Foi bolsista de pós-doutorado Fapesp nos quadros do Projeto Temático “A gestão do conflito na produção da cidade contemporânea: a experiência paulista”. Pós-doutorando do Programa de Pós-Graduação em Sociologia e Antropologia (PPGSA) da UFRJ, bolsista Capes e pesquisador do Núcleo de Estudos da Cidadania, Conflito e Violência Urbana (NECVU). Autor de Fluxos em cadeia: as prisões em São Paulo na virada dos tempos (Boitempo, 2017).
Publicado
2019-09-20