Atores não-estatais violentos transnacionais na América do Sul

um exame dos casos do Primeiro Comando da Capital e da Família do Norte

  • Marcos Alan S. V. Ferreira Universidade Federal da Paraíba (UFPB) https://orcid.org/0000-0002-3196-6508
  • Rodrigo de Souza Framento Universidade Federal da Paraíba (UFPB)
Palavras-chave: Violência, Crime organizado, Brasil, Primeiro Comando da Capital, Família do Norte

Resumo

Este artigo tem por objetivo descrever a evolução histórica e institucional de duas das principais organizações criminosas brasileiras, o Primeiro Comando da Capital e a Família do Norte. A metodologia se baseia em uma análise qualitativa, por meio da revisão bibliográfica de literatura, além de se fundamentar em entrevistas feitas pelos autores no decorrer de dois anos de investigação científica. Os resultados indicam que as organizações criminosas brasileiras aqui estudadas se desenvolveram em meio ao vácuo da atuação estatal, possibilitando seu crescimento e a ameaça à paz não só da região, mas de toda a América Latina.

Biografia do Autor

Marcos Alan S. V. Ferreira, Universidade Federal da Paraíba (UFPB)
Docente no Departamento de Relações Internacionais da Universidade Federal da Paraíba (UFPB) e Bolsista Produtividade Nível 2 do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). É também Professor Visitante no Mestrado em Desenvolvimento Social na Universidad Núr (Bolívia).
Rodrigo de Souza Framento, Universidade Federal da Paraíba (UFPB)
Pesquisador Associado ao Grupo de Estudos em Paz, Ética e Relações Internacionais da Universidade Federal da Paraíba (GEPERI/UFPB) e Bacharel em Relações Internacionais pela mesma instituição.
Publicado
2020-06-11
Seção
Dossiê Forças Armadas e Segurança Pública na América Latina