A Legitimação da Violência Policial como Estratégia de Governo

um estudo de caso do Rio Grande do Sul

Autores

  • Rodrigo Ghiringhelli de Azevedo Grupo de Pesquisa em Políticas Públicas de Segurança e Administração da Justiça Penal - Porto Alegre / RS
  • Luiza Correa de Magalhães Dutra PUCRS
  • Christiane Russomano Freire PUCRS

DOI:

https://doi.org/10.31060/rbsp.2020.v14.n2.1037

Palavras-chave:

Violência Policial; Audiências de Custódia; Segurança Pública

Resumo

A sociedade brasileira ainda se caracteriza pelo uso abusivo da violência por parte dos agentes de segurança pública. As interações entre a sociedade civil e os policiais ainda são marcadas por abuso de poder, pela falta de critérios para o uso da força e pela desconfiança, que produzem altas taxas de mortes praticadas pela polícia e de vitimização policial, indícios de um modelo autoritário e pouco eficaz. Quando a orientação de governo passa por justificar a violência policial, e o próprio poder judiciário é leniente no processamento das denúncias, a tendência é de aumento do número de casos. Para dar conta desse fenômeno complexo, buscou-se analisar casos de violência policial praticados pela Brigada Militar do Rio Grande do Sul entre os anos de 2014 e 2016, a partir de registros realizados pelo Centro de Referência em Direitos Humanos da Defensoria Pública do Rio Grande do Sul. Com base nos registros realizados pela Defensoria, foi possível analisar o contexto em que elas ocorrem, o perfil de vítimas e agressores, assim como o encaminhamento dado aos casos analisados. Foram, ao todo, analisados 279 Procedimentos para Apuração de Danos Individuais (PADINs). Foram analisadas também as denúncias de violência policial realizadas nas audiências de custódia da comarca de Porto Alegre. Realizadas em local próprio no Presídio Central, foram observadas audiências durante dois meses (dezembro de 2016 e janeiro de 2017), e coletados dados por meio de preenchimento de formulário de pesquisa, no âmbito de projeto vinculado ao Programa CNJ Pesquisa. Por meio da análise dos dados coletados, buscou-se identificar os elementos que caracterizam os casos de violência policial na cidade de Porto Alegre no último período, assim como o encaminhamento dado pelas instituições de justiça para os casos denunciados. Por fim, pretende-se apresentar algumas das causas do fenômeno do recrudescimento da violência policial no último período.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luiza Correa de Magalhães Dutra, PUCRS

Mestranda no Programa de Pós-Graduação em Ciências Criminais (PUCRS), Graduanda em Ciências Jurídicas e Sociais (PUCRS), Bacharela em Ciências Sociais (UFRGS), Especialista em Segurança Pública, Cidadania e Diversidade (UFRGS). 

Christiane Russomano Freire, PUCRS

Doutora em Ciências Criminais pela PUCRS, bolsista PNPD CAPES no PPG em Ciências Sociais da PUCRS.

Referências

ADORNO, Sérgio. O Monopólio estatal da violência na sociedade brasileira contemporânea In: O que ler na ciência social brasileira 1970-2002. Volume IV. Organizado por Sérgio Miceli. São Paulo: NEV/USP, 2002.

ANISTIA INTERNACIONAL. Eles entram atirando: policiamento de comunidades socialmente excluídas no Brasil (AMR 19/25/2005). Londres/Reino Unido: Amnesty Internacional Publications, 2005.

BRASIL. Mapa do encarceramento: os jovens do Brasil. Brasília, DF: Presidência da República, 2015.

CÂMARA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE. Mapa dos direitos humanos, do direito à cidade e da segurança pública de Porto Alegre 2015. Porto Alegre: Stampa, 2015.

CANO, Ignacio; DUARTE, Thais. Milícias. In: LIMA, R. S.; RATTON, J. L.; AZEVEDO, R. G. (Orgs.). Crime, Polícia e justiça no Brasil. São Paulo: Contexto, 2014. p. 325-333.

COSTA, Arthur Trindade; LIMA, Renato Sérgio de. Segurança Pública. In: LIMA, R. S.; RATTON, J. L.; AZEVEDO, R. G. (Orgs.). Crime, Polícia e justiça no Brasil. São Paulo: Contexto, 2014. p. 482-490.

GARLAND, David. The Culture of Control: Crime and Social Order in Contemporary Society. Chicago: The University of Chicago Press, 2001.GOV RS (site). Policiais Militares são condecorados por bravura e serviços relevantes. 26.05.2016.

IBGE. Censo Demográfico 2010: Características gerais da população, religião e pessoas com deficiência. Rio de Janeiro: IBGE, 2010.IPEA. Sistema de Indicadores de Percepção Social – Segurança Pública. Brasília, DF: IPEA, 2011.

KANENBERG, Vanessa. Para comandante-geral da BM, policiais foram “heróis ao evitar que inocentes morressem”. Jornal Zero Hora, 23.04.2016.

KANT DE LIMA, Roberto. Éticas e Práticas na Segurança Pública e na Justiça Criminal. In: LIMA, R. S.; RATTON, J. L.; AZEVEDO, R. G. (Orgs.). Crime, Polícia e justiça no Brasil. São Paulo: Contexto, 2014. p. 471-481.

LEMGRUBER, Julita; MUSUMECI, Leonarda; CANO, Ignacio. Quem vigia os vigias? – um estudo sobre controle externo da polícia no Brasil. Rio de Janeiro: Record, 2003.

MARTINS, Cid. Ação de PMs que mataram bandidos junto a hospital é apoiada por jacini. Jornal Zero Hora, 25.04.2016,

MISSE, Michel. Trocas ilícitas e mercadorias políticas:para uma interpretação de trocas ilícitas e moralmente reprováveis cuja persistência e abrangência no Brasil nos causam incômodos também teóricos. Anuário Antropológico, II, 89-107, 2010.

MUNIZ, Jacqueline; PROENÇA JÚNIOR, Domício. Mandato Policial. In: LIMA, R. S.; RATTON, J. L.; AZEVEDO, R. G. (Orgs.). Crime, Polícia e justiça no Brasil. São Paulo: Contexto, 2014. p. 491-501.

MUSUMECI, Leonarda; SOARES, Bárbara Musumeci. Polícia e gênero: participação e perfil das policiais femininas nas PMs brasileiras. Revista Gênero, v. 5, n. 1, 2004.

PONCIONI, Paula. Identidade Profissional Policial. In: LIMA, R. S.; RATTON, J. L.; AZEVEDO, R. G. (Orgs.). Crime, Polícia e justiça no Brasil. São Paulo: Contexto, 2014. p. 503-510.

WAISELFISZ, Julio Jacobo. Mapa da Violência 2014: Os Jovens do Brasil. Rio de Janeiro: Flacso Brasil, 2014.

Downloads

Publicado

30-09-2020

Como Citar

GHIRINGHELLI DE AZEVEDO, Rodrigo; DUTRA, Luiza Correa de Magalhães; FREIRE, Christiane Russomano. A Legitimação da Violência Policial como Estratégia de Governo: um estudo de caso do Rio Grande do Sul. Revista Brasileira de Segurança Pública, [S. l.], v. 14, n. 2, p. 128–145, 2020. DOI: 10.31060/rbsp.2020.v14.n2.1037. Disponível em: https://revista.forumseguranca.org.br/index.php/rbsp/article/view/1037. Acesso em: 15 abr. 2024.

Edição

Seção

Dossiê Segurança e Justiça Criminal