A intervenção federal e a construção do problema da segurança pública no Rio de Janeiro depois da redemocratização

Autores

  • Diogo Monteiro Dario Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)

DOI:

https://doi.org/10.31060/rbsp.2020.v14.n1.1038

Palavras-chave:

Intervenção federal, Segurança Pública, Forças Armadas, Unidades de Polícia Pacificadora (UPP)

Resumo

Este artigo argumenta que, para compreender o quadro dentro do qual a intervenção federal no estado do Rio de Janeiro se dá em 2018, é necessário observar a convergência de dois processos: um é a institucionalização do emprego das Forças Armadas em operações de garantia da lei e da ordem dentro do cenário do estado; o outro é a transformação que atravessa a política de policiamento comunitário desde os anos 1980 até a política de pacificação, de uma agenda de reforma policial para um instrumento de legitimação da ação policial dentro da favela. Os dois processos são marcados por uma narrativa sobre o problema da segurança pública ligada a um inimigo interno materializado na figura do crime organizado ligado ao tráfico de drogas internacional.

Biografia do Autor

Diogo Monteiro Dario, Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)

Doutor em Relações Internacionais pela University of St. Andrews (2013). Atualmente é Professor Adjunto do Instituto de Relações Internacionais e Defesa da Universidade Federal do Rio de Janeiro (IRID/UFRJ). Pesquisa tópicos relacionados a questões humanitárias e de segurança na América Latina.

Downloads

Publicado

2021-11-10

Edição

Seção

Dossiê Forças Armadas e Segurança Pública na América Latina