“Tem que abordar para conhecer” - o nascimento do X-9

um instrumento de investigação utilizado pelos policiais militares do Estado do Rio de Janeiro

Autores

  • Perla Alves Bento de Oliveira Costa Universidade Federal Fluminense (UFF)

DOI:

https://doi.org/10.31060/rbsp.2020.v14.n1.1073

Palavras-chave:

Abordagem policial, Usuário de drogas, X-9

Resumo

Este trabalho apresenta um esforço no sentido de compreender as moralidades que estão envolvidas quando o policial militar aborda um usuário de drogas e não o conduz para a delegacia a fim de fazer o registro de ocorrência. Além disso, discute uma das técnicas de investigação, exercida pelos policiais militares, a utilização do “X-9”, visto como uma “relação de parceria” com os informantes. Após a implantação da lei 11.343/06 percebeu-se um maior número de registros nas delegacias em relação ao tráfico e uma redução no que tange aos registros de posse e uso, que caracterizam usuários. Contudo, a diminuição nos números de registros não significa dizer que as abordagens, aos usuários de drogas realizadas pelos policias militares tenham se reduzido, já que os procedimentos criminais continuam os mesmos. E a lei é a todo instante atualizada pelos operadores.

Biografia do Autor

Perla Alves Bento de Oliveira Costa, Universidade Federal Fluminense (UFF)

Pesquisadora vinculada ao Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia - Instituto de Estudos Comparados em Administração Institucional de Conflitos (INCT-InEAC/UFF). Pesquisadora vinculada ao PSICOCULT/UFF. Doutoranda no Programa de Pós Graduação em Sociologia e Direito pela Universidade Federal Fluminense . Mestre no mesmo programa. Possui graduação em Pedagogia (UERJ 2012), graduação em Tecnólogo em Segurança Pública e Social (UFF 2016).

Downloads

Publicado

2021-11-10

Edição

Seção

Dossiê: Sentidos do fazer judicial e policial: administração de conflitos e SJC