“Hierarquia da invisibilidade”: preconceito e homofobia na formação policial militar

Autores

  • Fábio Gomes de França

DOI:

https://doi.org/10.31060/rbsp.2016.v10.n2.700

Palavras-chave:

Polícia Militar, Virilidade, Homoafetividade.

Resumo

Este artigo se debruça sobre a visão de alunos homoafetivos que ingressaram no Curso de Formação de Oficiais (CFO) da Polícia Militar da Bahia. Assim, diante da evidente “dominação masculina” na realidade das casernas policiais e da consequente naturalização de uma cultura institucional na qual o atributo “ser homem” fortalece valores belicistas, buscamos compreender como se constitui a presença de alunos homoafetivos masculinos em um ambiente de formação policial militar. Para tanto, aplicamos questionários com questões abertas, enviadas por e-mail. A partir das respostas obtidas, constatamos uma situação contraditória: de um lado, temos a cultura da caserna policial militar voltada para o preconceito contra alunos homoafetivos; por outro, tais alunos conformam-se às regras culturais encontradas no quartel de formação, negando publicamente a dimensão sexual e afetiva de suas identidades para serem aceitos. Por fim, descortina-se uma “hierarquia da invisibilidade” que leva esses indivíduos a ocultarem seu autorreconhecimento.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fábio Gomes de França

Doutor e mestre em Sociologia pela Universidade Federal da Paraíba. Bacharel em Segurança Pública pelo Centro de Educação da PMPB. Pesquisador na área de Sociologia da violência, do poder e do controle social e em temas relacionados à Segurança Pública e Direitos Humanos. Professor de Criminologia pelo Centro de Educação da PMPB.

Referências

ALVES, Flávio; BARCELLOS, Sérgio. Toque de silêncio: uma história de homossexualidade na marinha do Brasil. São Paulo: Geração Editorial, 2002.

ANDRADE, Nayhara Helena Pereira de; FRANÇA, Fábio Gomes de. Polícia militar, homossexualidade e preconceito: um estudo sobre a efetividade jurídica e a profissão policial. In.: FRANÇA, Fábio Gomes de; SANTOS, Carlos Eduardo Batista dos (Org.). Estudos em segurança pública: direitos humanos, polícia e violência. João Pessoa: Ideia, 2015. p. 241-264.

BERNARDET, Jean Claude. Ser ou não ser não é a questão, In: PINSKY, Jaime. 12 faces do preconceito. São Paulo: Contexto, 2001.

BOURDIEU, Pierre. A dominação masculina. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2002.

BRITO, Mozar José de; PEREIRA, Valéria da Glória. Socialização organizacional: a iniciação na cultura militar. RAP, Rio de Janeiro, 30 (4): 138-165, jul/ago de 1996.

BURKE, Marc. Cop culture and homosexuality. Police journal, [S.l.], v. 65, n. 1, p. 30-39, jan./mar. 1992.

CASTRO, Celso. O espírito militar: um antropólogo na caserna. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2004.

CÓDIGO PENAL MILITAR. Decreto Lei nº 1.001, de 10 de outubro de 1969. In.: 13 em 1. Equipe América Jurídica (org.). 2ª Ed. Rio de Janeiro: América Jurídica, 2006.

D’ARAUJO, Maria Celina. Mulheres, homossexuais e forças armadas no Brasil. 2008.

DOUGLAS, Mary. Pureza e perigo. São Paulo: Perspectiva, 1976.

ELIAS, Norbert. O processo civilizador: formação do Estado e civilização. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 1993. v. 2.

ELIAS, Norbert. O processo civilizador: uma história dos costumes. Tradução de R. Jungmann. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2011. v. 1.

FOUCAULT, Michel. Vigiar e punir: história das violências nas prisões. Rio de Janeiro: Vozes, 1987.

FOUCAULT, Michel. Em defesa da sociedade. São Paulo: Martins Fontes, 1999.

FOUCAULT, Michel. História da sexualidade I: a vontade de saber. Rio de Janeiro: Graal, 2007.

FRANÇA, Fábio Gomes de; GOMES, Janaína Letícia de Farias. “Se não aguentar, corra!”: um estudo sobre a pedagogia do sofrimento em um curso policial militar. Revista Brasileira de Segurança Pública, São Paulo, v. 9, n. 2, p. 142-159, ago/set 2015.

FREUD, Sigmund. O mal estar da civilização. In: Cinco lições de psicanálise. São Paulo: Abril Cultural, 1978.

HONNETH, Axel. Luta por reconhecimento: a gramática moral dos conflitos sociais. São Paulo: Editora 34, 2003.

IZECKSOHN, Vítor. Quando era perigoso ser homem: recrutamento compulsório, condição masculina e classificação social no Brasil. In.: DEL PRIORE, Mary; AMANTINO, Márcia (Org.). História dos homens no Brasil. São Paulo: Editora Unesp, 2013. p. 267-297.

LEÓN, Adriano de. Bola no pé e caneta na mão: futebol e direito em busca do falo perdido. Revista política e trabalho, João Pessoa, Edição 27-30, 2009.

LUDWIG, Paul Walter. Eros and polis: desire and community in Greek political theory. Cambridge: Cambridge University Press (C.U.P.), 2002.

MISKOLCI, Richard. O desejo da nação: masculinidade e branquitude no Brasil de fins do XIX. São Paulo: Annablume Editora, 2012.

MOREIRA, Rosimeri. Virilidade e o corpo militar. História: debates e tendências, [S.l.], v. 10, n. 2, p. 321-335, jul./dez. 2010.

MUNIZ, Jaqueline. “Ser policial é, sobretudo, uma razão de ser”: cultura e cotidiano da Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro. 1999. 286 f.. Tese (Doutorado em Ciência Política) -IUPERJ, Rio de Janeiro, 1999.

OLIVEIRA, Jonas Henrique de. O corpo como significado ou o significado do corpo: poder, violência e masculinidade na polícia militar. Vivência, [S.l.], n. 35, p. 101-117, 2010.

OLIVEIRA, Pedro Paulo de. A construção social da masculinidade. Belo Horizonte: Editora UFMG; Rio de Janeiro: IUPERJ, 2004.

OLIVEIRA, Roberto Cardoso de. Caminhos da identidade: ensaios sobre etnicidade e multiculturalismo. São Paulo: Editora Unesp; Brasília: Paralelo 15, 2006.

PALMIOTTO, Michael J.; UNNITHAN, N. Prabha. Policing and society: a global approach. Delmar: Cengage Learning, 2011.

PASTORE, Fortunato. O batalhão sagrado de Tebas: militarismo e homoafetividade na Grécia antiga. Revista Trilhas da História, Três Lagoas, v. 1, n. 1, p. 39-51, jun./nov. 2011.

PRADO, Marco Aurélio Máximo; MACHADO, Frederico Viana. Preconceito contra homossexualidades: a hierarquia da invisibilidade. São Paulo: Cortez, 2008.

PRADO, Marco Aurélio Máximo et. al. Segurança pública e população LGBT: formação, representação e homofobia. In: LIMA, Cristiane do Socorro Loureiro; BAPTISTA, Gustavo Camilo; FIGUEIREDO, Isabel Seixas de. Segurança pública e direitos humanos: temas transversais. Brasília: Ministério da Justiça, Secretaria Nacional de Segurança Pública, 2014. p. 57-79.

RAGO, Margareth. Prefácio. In.: MISKOLCI, Richard. O desejo da nação: masculinidade e branquitude no Brasil de fins do XIX. São Paulo: Annablume Editora, 2012. p. 13-15.

REINER, Robert. A política da polícia. São Paulo: Edusp, 2004.

REY, Fernando González. Pesquisa qualitativa e subjetividade: os processos de construção da informação.São Paulo: Thompson, 2005.

ROLIM, Marcos. A síndrome da rainha vermelha: policiamento e segurança pública no século XXI. Rio de Janeiro: Zahar; Oxford, Inglaterra: University of Oxford, Centre for Brazilian Studies, 2006.

SANTOS, Miriam de Oliveira. Berços de heróis: o papel das escolas militares na formação de “salvadores da pátria”. São Paulo: Annablume, 2004.

WEBER, Max. Ensaios de sociologia. Hans Gerth; C. Wright Mills (Org.). Tradução de W. Dutra. 5. ed. Rio de Janeiro: Guanabara, 1982.

Downloads

Publicado

29-09-2016

Como Citar

FRANÇA, Fábio Gomes de. “Hierarquia da invisibilidade”: preconceito e homofobia na formação policial militar. Revista Brasileira de Segurança Pública, [S. l.], v. 10, n. 2, p. 154–170, 2016. DOI: 10.31060/rbsp.2016.v10.n2.700. Disponível em: https://revista.forumseguranca.org.br/index.php/rbsp/article/view/700. Acesso em: 28 maio. 2024.