Relações de gênero nas Guardas Municipais

Autores

  • Camila Costa Cardeal
  • Ludmila Mendonça Lopes Ribeiro

DOI:

https://doi.org/10.31060/rbsp.2017.v11.n1.780

Palavras-chave:

Segurança Pública. Relações de gênero. Guardas Municipais.

Resumo

Neste artigo, procuramos descortinar as relações de gênero no âmbito das Guardas Municipais, o que significa uma análise não das mulheres, mas de como elas são em comparação com os homens. Para tanto, optamos por escrutinar três dimensões: perfil profissional, condições de trabalho e assédio (moral e sexual). Os resultados indicam que a prometida igualdade entre homens e mulheres está longe de se materializar nas Guardas Municipais, dados o reduzido percentual do contingente feminino (em comparação com o masculino), a ausência de equipamentos de proteção individual específicos para as mulheres e as práticas de assédio que vitimizam essas profissionais em maiores percentuais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Camila Costa Cardeal

Mestranda em Administração Pública pela Fundação João Pinheiro - FJP. Pesquisadora do Núcleo de Estudos em Segurança Pública - NESP-FJP. Graduada em Ciências Sociais pela Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG

Ludmila Mendonça Lopes Ribeiro

Professora adjunta do Departamento de Sociologia - DSO e pesquisadora do Centro de Estudos de Criminalidade e Segurança Pública - CRISP, ambos da Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG. Doutora em Sociologia pelo Instituto Universitário de Pesquisas do Rio de Janeiro - IUPERJ. Mestre em Administração Pública pela Fundação João Pinheiro - FJP.

Referências

ABREU, Maria Aparecida Azevedo. Cotas para mulheres no Legislativo e seus fundamentos republicanos. Brasília, DF: Ipea, 2011. (Texto para Discussão, n. 1645).

AGUIAR, Neuma. Gênero e ciências humanas. Rio de Janeiro: Rosa dos Ventos, 1997.

BRASIL. Lei nº 13022, de 8 de agosto de 2014. Dispõe sobre o Estatuto Geral das Guardas Municipais. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 11 ago. 2014.

CARDEAL, Camila Costa. Arma de fogo para quê? Uma análise da percepção dos Guardas Municipais de Betim. Revista Três Pontos, v. 12, n. 2, 2015.

CAPPELLE, Mônica Carvalho Alves; MELO, Marlene Catarina de Oliveira Lopes. Mulheres policiais, relações de poder e de gênero na Polícia Militar de Minas Gerais. Revista de Administração Mackenzie, v. 11, n. 3, 2010.

CARVALHO, Marília Pinto. O fracasso escolar de meninos e meninas: articulações entre gênero e cor/raça. Cadernos Pagu, v. 22, p. 247-290, 2004.

FARAH, Marta Ferreira Santos. Gênero e políticas públicas. Estudos Feministas, v. 12, n. 1, p. 47-71, 2004.

FBSP. Anuário do Fórum Brasileiro de Segurança Pública. São Paulo: Fórum Brasileiro de Segurança Pública, 2015.

FREITAS, Maria Ester. Assédio moral e assédio sexual: faces do poder perverso nas organizações. RAE, v. 41, n. 2, p. 9-13, 2001.

IBGE. Pesquisa de informações básicas municipais. Rio de Janeiro: IBGE, 2012.

IBGE. Estatísticas de Gênero – Uma análise dos resultados do Censo Demográfico 2010. Brasília: IBGE/SPM-PR/MDA, 2014

KAKAR, Suman. Gender and police officers’ perceptions of their job performance: An analysis of the relationship between gender and perceptions of job performance. Criminal Justice Policy Review, v. 13, n. 3, p. 238-256, 2002.

KERGOAT, Danièle. Divisão sexual do trabalho e relações sociais de sexo. In. HIRATA, Helena; LABORIE, Françoise; LE DOARÉ, Hélène; SENOTIER, Danièle (Orgs.). Dicionário Crítico do Feminismo. São Paulo: Unesp, 2009.

KERGOAT, Danièle. Novas configurações da divisão sexual do trabalho. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, v. 37, n. 132, 2007.

KÜCHEMANN, Berlindes Astrid; BANDEIRA, Lourdes M.; ALMEIDA, Tânia Mara C. A categoria gênero nas ciências sociais e sua interdisciplinaridade. Revista do CEAM, v. 3, n. 1, p. 63, 2015.

MISSE, Michel; BRETAS, Marcos Luiz et al. As Guardas Municipais no Brasil: Diagnóstico das transformações em curso. Rio de Janeiro: NEVCU/IFCS/UFRJ/Booklink, 2010.

MUSUMECI, Leonarda et al. Raça e gênero no Sistema de Justiça Criminal brasileiro: perfil dos operadores e da população carcerária. Rio de Janeiro: CESeC/2004.

MUSUMECI, Leonarda; SOARES, Bárbara Musumeci. Polícia e gênero: participação e perfil das policiais femininas nas PMs brasileiras. Revista Gênero, v. 5, n. 1, p. 183-207, 2004.

SENASP. Mulheres na Segurança Pública. Brasília, DF: Ministério da Justiça/Senasp, 2013.

SOARES, Luiz Eduardo; ROLIM, Marcos; RAMOS, Silvia. O que pensam os profissionais da segurança pública, no Brasil. Brasília, DF:Ministério da Justiça/Senasp, 2009.

VARGAS, Joana Domingues; OLIVEIRA JUNIOR, Almir. As guardas municipais no Brasil: Um modelo de análise. DILEMAS: Revista de Estudos de Conflito e Controle Social, v. 3, n. 7, p. 85-108, jan.-mar. 2010.

Downloads

Publicado

08-03-2017

Como Citar

COSTA CARDEAL, Camila; MENDONÇA LOPES RIBEIRO, Ludmila. Relações de gênero nas Guardas Municipais. Revista Brasileira de Segurança Pública, [S. l.], v. 11, n. 1, p. 50–72, 2017. DOI: 10.31060/rbsp.2017.v11.n1.780. Disponível em: https://revista.forumseguranca.org.br/index.php/rbsp/article/view/780. Acesso em: 15 abr. 2024.