Considerações sobre criminalidade: marginalização, medo e mitos no Brasil

Autores

  • Geélison Ferreira da Silva

DOI:

https://doi.org/10.31060/rbsp.2011.v5.n1.85

Palavras-chave:

Crime, Violência, Marginalização, Mitos, Medo

Resumo

Este trabalho procura ampliar o debate sobre a criminalidade violenta no Brasil, a partir de uma abordagem sociológica.Discutem-se a definição de crime e violência e alguns aspectos da criminalização e marginalização de grupos sociaisao longo da história brasileira, bem como mitos e teses equivocadas recorrentes ao se tratar desse assunto. É abordadatambém a questão do medo da violência, que pode trazer consequências negativas para a sociedade em geral, eapresenta-se uma reflexão sobre a diferenciação social e estigmatização inseridas em processos de construção deidentidade e dominação social e simbólica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Geélison Ferreira da Silva

Geélison Ferreira da Silva é sociólogo (Universidade Estadual de Montes Claros - Unimontes), mestrando em sociologia(UFMG), bolsista da Fundação de Amparo a Pesquisa do Estado de Minas Gerais (Fapemig) e pesquisador do Centro deEstudos de Criminalidade e Segurança Pública (Crisp).

Referências

ADORNO, S. Racismo, criminalidade violenta e justiça penal: réus brancos e negros em perspectiva comparativa.Estudos Históricos, Rio de Janeiro, v. 9, n. 18, p. 283-300, 1996.

ALMEIDA, B. G. M. de. Medo do crime e criminalização da juventude. In: III CONGRESSO IBERO-AMERICANO SOBRE VIOLÊNCIAS NAS ESCOLAS − CIAVE. Anais... Curitiba : Champagnat, p. 11.582-11.594, 2008.

ALMENDRA. C. A.; BAIERL, L. F. A violência: realidade cotidiana. Sociedade e Cultura,v. 10, n. 2, p.267-279, 2007.

ASSIS, M. de. Bons dias. Obra Completa. Rio de Janeiro: Editora Nova Aguilar, v. III, 1994.

BAIERL, L. F. Medo social: da violência visível ao invisível da violência. São Paulo: Cortez, 2004.

BASTOS NETO, O. Sociologia política: razões de Estado versus razões de classe: origens republicanas das ideologias de controle e repressão no Brasil.Maiêut. dig. R. Fil. Ci. afins, Salvador, v. 1, n. 1, p. 112-135, maio/ago. 2006.

BEATO F., C. Determinantes da criminalidade em Minas Gerais.Rev. bras. Ci. Soc., São Paulo, v. 13, n. 37, jun. 1998.

BOURDIEU, P. et. al. A miséria do mundo. Petrópolis: Vozes, 2007.

BOURDIEU, P. Coisas ditas. São Paulo: Brasiliense, 1990.

CAMINHAS, D. A.; BRAGA, M. Â. F. O medo da violência e a segurança privada: reflexões sobre acidade de Montes Claros. Revista Economia: terceira margem, Montes Claros, v. 1, p. 5-59, 2006.

CALDEIRA, T. P. R. Enclaves fortificados: a nova segregação urbana. Novos Estudos Cebrap, São Paulo, v. 47, p. 155-176, 1997.

COELHO, E. C. Criminalização da marginalidade e a marginalização da criminalidade.Revista de Administração Pública, v. 12, n. 2, p. 139-161, abril-junho 1978.

COELHO, E. C. Sobre sociólogos, pobreza e crime. Dados, Rio de Janeiro, v. 23, n. 3, 1980.

DURKHEIM, E.As regras do método sociológico. São Paulo: Martin Claret, 2002.

ELIAS, N.; SCOTSON, J. L. Os estabelecidos e os outsiders. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2000.

GLASSNER, B.Cultura do medo. São Paulo: Editora Francis, 2003.

MACHADO DA SILVA, L. A. Criminalidade violenta e uma nova perspectiva de análise. Revista de Sociologia e Política, n.13, p. 115-124, 1999.

GOLDIM, J. R. Eugenia.

MELO, E. M. das D. V. de. Cultura do medo: reflexões sobre os determinantes da criminalidade e seus efeitos para a cidadania e o controle social na contemporaneidade. Parlatorium − Revista eletrônica da Faminas BH, v. 1, p. 1-14, 2008.

MISSE, M. Crime e violência no Brasil contemporâneo: estudos de sociologia do crime e da violência urbana. Rio de Janeiro: Lúmen Júris, 2007.

MORGADO, M. A. Violência institucional, identificação e direitos humanos. Revista Psicologia Política, v. 1, n. 1, jan./jun. 2001.

MUSUMECI, L. Serviços privados de vigilância e guarda no Brasil: um estudo a partir de informações da PNAD — 1985/95. Rio de Janeiro, 1998.

NEVES, E. V. P. Crime de colarinho branco: um enfoque criminológico.

PAIXÃO, A. L. A violência urbana e sociologia: sobre crenças e fatos e mitos e teorias e políticas e linguagens e.... Religião e Sociedade, v.15, n. 1, Iser/CER, 1990.

PAIXÃO, C. J. O positivismo ilustrado no Brasil.Trilhas, Belém, v.1, n.2, p. 56-65, Nov. 2000.

PENNA, L. H. G.; GUEDES, C. R. Violência institucional no atendimento pré-natal: percepção de gestantes negras. In: II Seminário Nacional de Diretrizes para Atenção Básica em Saúde. Recife, 2009.

PEDRAZZINI, Y. A violência das cidades. Petrópolis: Vozes, 2006.

PETRINIA, L. A. Contraventores pobres e Estado: crimes e julgamentos no período do Estado Novo (1938-45). Projeto História, São Paulo, n.33, p. 343-349, dez. 2006.

PNUD – Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento. Relatóriode desenvolvimento humano: racismo, pobreza e violência, Brasil 2006.

SANTOS, L. E. da S. dos; FERRIANI, M. das G. A violência institucional em creches e pré-escolas sob a ótica das mães.Revista Brasileira de Enfermagem, Brasília, v. 62, n. 1, p. 45-50, jan.-fev. 2009.

SOUSA, J. P. de G. et. al. Dicionário de política.São Paulo: T. A. Queiroz, 1998.

STANCIK, M. A. De médico a homem de ciência: a eugenia na trajetória de Aleixo de Vasconcellos no início do século XX. Tese (Doutorado). Paraná: Universidade Federal do Paraná, 2006.

STEVANIM, L. F. F. A sociedade amedrontada: estratégias eleitorais em torno da violência Lumina, Juiz de Fora, v. 9, p. 63-75, 2006.

WACQUANT, L. Crime e castigo nos Estados Unidos: de Nixon a Clinton − dossiê cidadania e violência. Revista Sociologia e Política, Curitiba, n. 13, p. 39-50 nov. 1999.

ZALUAR, A. Da revolta ao crime S/A. São Paulo: Moderna, 1996.

Downloads

Publicado

01-03-2011

Como Citar

FERREIRA DA SILVA, Geélison. Considerações sobre criminalidade: marginalização, medo e mitos no Brasil. Revista Brasileira de Segurança Pública, [S. l.], v. 5, n. 1, p. 90–105, 2011. DOI: 10.31060/rbsp.2011.v5.n1.85. Disponível em: https://revista.forumseguranca.org.br/index.php/rbsp/article/view/85. Acesso em: 29 maio. 2024.