O diálogo como pressuposto de prevenção à violência no âmbito escolar

Autores

  • Vinicius Bandera Universidade de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.31060/rbsp.2019.v13.n2.942

Palavras-chave:

Diálogo, Violências na e da escola, Cidadania, Democracia, Escola cidadã.

Resumo

Este artigo está dividido em cinco partes: 1) introdução ao que podem ser ou não violências ocorridas no seio da escola; 2) apresentação analítica de uma tipologia acerca dessas violências, distinguindo-as de meros conflitos e indisciplinas diante das regras escolares; 3) apresentação analítica de uma metodologia crítico-dialógica para lidar com essas violências; 4) análise envolvendo multiculturalismo e escola cidadã; 5) dois resultados empíricos dando conta do emprego de metodologias crítico-dialógicas na abordagem de violências no âmbito escolar. O estudo está balizado por propostas crítico-dialógicas, que têm as trocas horizontais (dialogicidade), a democracia, a cidadania, a autoridade (sem autoritarismo e sem “licenciosidade”) e o multiculturalismo como pressupostos. Pressupostos estes que podem ser sintetizados em uma palavra-conceito: diálogo. O artigo defende a hipótese de que o diálogo pode ser um pressuposto de prevenção à violência no âmbito escolar, utilizando metodologias crítico-dialógicas, sobretudo o pensamento de Paulo Freire e alguns de seus mais importantes seguidores: Carlos Alberto Torres e José Eustáquio Romão. Nas considerações finais são dados alguns exemplos de projetos que utilizaram o diálogo como pressuposto de prevenção à violência no âmbito escolar.  

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Vinicius Bandera, Universidade de São Paulo

Pós-doutorado História Social (USP). Doutorado Sociologia (UFRJ). Mestrado Ciência Política (UNICAMP). Professor da Policia Militar do Estado do Rio de Janeiro.

Referências

ALTHUSSER, Louis. Aparelhos ideológicos de Estado. Trad. Joaquim José de Moura Ramos. Lisboa/São Paulo: Presença/Martins Fontes, 1970.

BOURDIEU, Pierre. Gostos de classe e estilos de vida. In: ORTIZ, Renato (Org.). Pierre Bourdieu. Trad. Paula Montero e Alícia Auzmendi. São Paulo: Ática, 1983. p. 82-121.

BOURDIEU, Pierre; PASSERON, Jean-Claude. A reprodução. Elementos para uma teoria do sistema de ensino 3ª ed. Trad. Reynaldo Bairão, Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1992.

CHARLOT, Bernard. Prefácio. In: ABRAMOVAY, Miriam (Coord.). Cotidiano das escolas: entre violências. Brasília: UNESCO/MEC, 2005. p. 233-249.

CHAVES, Iduína Mont’Alverne Braun. O professor e a violência nas escolas: entre o poder e a potência. Revista Portuguesa de Investigação Educacional, v. 12, p. 219-234, 2012.

DAYRREL, Juarez. A escola como espaço sociocultural. In: DAYRREL, Juarez (org.). Múltiplos olhares sobre educação e cultura. Belo Horizonte: Editora UFMG,1996. p. 136-163.

DAYRREL, Juarez. A escola “faz” as juventudes? Reflexão em torno da socialização juvenil. Educação e Sociedade, Campinas, v. 28, n. 100, Especial, p. 1105-1128, out. 2007.

FERRACIOLI, Marcelo Ubiali. Escola cidadã. Questões acerca da educação escolar em tempos de crise estrutural do capital. Dissertação de Mestrado do Programa de Pós-Graduação em Educação Escolar da Faculdade de Ciências e Letras da Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita, Campus de Araraquara, Araraquara, São Paulo, 2008.

FERRACIOLI, Marcelo Ubiali. Escola cidadã: contexto, gênese e consolidação. In: REUNIÃO ANUAL DA ANPED, 31., 2008, Caxambu. Anais eletrônicos... Caxambu: ANPEd, 2008.

FOUCAULT, Michel. Vigiar e punir: o nascimento da prisão. Trad. Raquel Ramalhete. Petrópolis: Vozes, 1986.

FOUCAULT, Michel. Microfísica do poder. Trad. Roberto Machado. Rio de Janeiro: Graal, 2010.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da indignação. Cartas pedagógicas e outros escritos. São Paulo: Ed. UNESP, 2000.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido. 42. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2005.

FREIRE, Paulo. Educação como prática da liberdade. 30. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2007.

FREIRE, Paulo. A escola cidadã: depoimento. Entrevista à TV Cultura. São Paulo: TV Cultura, 19 mar. 1997. In: Arte Risco. A escola cidadã por Paulo Freire.

FREITAG, Bárbara. Política educacional e indústria cultural. 2. ed. São Paulo: Cortez, 1989.

GADOTTI, Moacir. Escola cidadã. 11. ed. São Paulo: Cortez, 2006.

GADOTTI, Moacir; ROMÃO, José Eustáquio. Projeto da escola Cidadã: a hora da sociedade. São Paulo: IPF, 1994.

GUIMARÃES, Áurea M. Indisciplina e violência: a ambiguidade dos conflitos na escola. IN: AQUINO, Julio Groppa (org.). Indisciplina na escola. Alternativas teóricas e práticas. São Paulo: Summus, 1996. p. 73-82.

MARSHALL, T. H. Citizenship and social class and others essays. London/New York: Cambridge University Press, 1950.

MENDONÇA, Renata. Escola usa de respeito e honestidade para combater violência. BBC.

ROMÃO, José Eustáquio. Dialética da diferença. O projeto da escola cidadã frente ao projeto político-pedagógico neoliberal. São Paulo: Cortez/IPF, 2000.

ROMÃO, José Eustáquio. Escola cidadã no século XXI. [2002] p.1-5.

SPOSITO, Marília Pontes. A instituição escolar e a violência. Cadernos de pesquisa, n. 104, p. 58-75, 1998.

TORRES, Carlos Alberto. Democracia, educação e multiculturalismo. Dilemas da cidadania em um mundo globalizado. Trad. Carlos Almeida Pereira. Petrópolis: Vozes, 2001.

SAVIANI, Dermeval. Da nova LDB ao FUNDEB. Por uma outra política educacional. Campinas: Autores Associados, 2007.

VIANNA, Ilca Oliveira de Almeida et al. Dialogando sobre disciplina com Paulo Freire. In: D’ANTOLA, Arlette (Org.). Disciplina na escola: autoridade versus autoritarismo. São Paulo: EPU, 1989. p. 1-12.

Downloads

Publicado

20-12-2019

Como Citar

BANDERA, Vinicius. O diálogo como pressuposto de prevenção à violência no âmbito escolar. Revista Brasileira de Segurança Pública, [S. l.], v. 13, n. 2, p. 192–205, 2019. DOI: 10.31060/rbsp.2019.v13.n2.942. Disponível em: https://revista.forumseguranca.org.br/index.php/rbsp/article/view/942. Acesso em: 25 maio. 2024.

Edição

Seção

Dossiê: Violência em contexto escolar e escola em contexto violento