Fatores que afetam a prática de violência por alunos dentro do ambiente escolar no estado de Minas Gerais

Autores

  • Maicker Leite Bartz Universidade Federal de Viçosa (UFV)
  • Ewerton da Silva Quartieri Universidade Federal do Rio Grande (FURG)
  • Vivian dos Santos Queiroz Universidade Federal do Rio Grande (FURG)

DOI:

https://doi.org/10.31060/rbsp.2019.v13.n2.982

Palavras-chave:

Violência escolar, Agressão, Minas Gerais, Modelo logit

Resumo

Este trabalho investiga os principais fatores internos e externos que influenciam a violência cometida por alunos dentro de escolas do estado de Minas Gerais. As escolas são um ambiente de ensino e aprendizado voltado para preparar o aluno para a inserção em sociedade, mas o crescente aumento da violência urbana tem influenciado o comportamento delinquente dentro das escolas. Para avaliar a probabilidade de um aluno cometer agressão na escola estimou-se um modelo logit usando os dados da Prova Brasil de 2011. Os resultados apontam que agressão de professor, furto e atentado à vida são as variáveis do ambiente escolar que mais elevam a probabilidade de o aluno cometer uma agressão dentro da escola. O mesmo se observa para as variáveis externas, especialmente tráfico de drogas. Já o investimento em segurança e vigilância na escola não se mostram suficientes para mitigar o problema, pois são medidas de combate imediato à violência escolar que precisa de ações que envolvam apoio social, como a interação entre escola e comunidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maicker Leite Bartz, Universidade Federal de Viçosa (UFV)

Doutorando em Economia Aplicada no Programa de Pós-Graduação em Economia Aplicada da Universidade Federal de Viçosa - PPGEA/UFV. E-mail: maickerbartz@gmail.com

Ewerton da Silva Quartieri, Universidade Federal do Rio Grande (FURG)

Mestre em Economia Aplicada pelo Programa de Pós-Graduação em Economia Aplicada da Universidade Federal do Rio Grande - PPGE/FURG. E-mail: ewerton.quartieri@gmail.com

Vivian dos Santos Queiroz, Universidade Federal do Rio Grande (FURG)

Professora permanente do Programa de Pós-Graduação em Economia Aplicada da Universidade Federal do Rio Grande – PPGE/FURG. E-mail: viviansq13@gmail.com

Referências

ABRAMOVAY, M. Gangues, galeras, chegados e rappers: juventude, violência e cidadania nas cidades da periferia de Brasília. Brasília: Editora Garamond, 1999.

ABRAMOVAY, M.; RUA, M. G. Violência nas escolas. Brasília: UNESCO, Coordenação DST/AIDS do Ministério da Saúde, Secretaria de Estado dos Direitos Humanos do Ministério da Justiça, CNPq, Instituto Ayrton Senna, UNAIDS, Banco Mundial, USAID, Fundação Ford, CONSED, UNDIME, 2002.

AGNEW, R. Foundation for a general strain theory of crime and delinquency. Criminology, v. 30, n. 1, p. 47-88, 1992.

AKERS, R. L. Social learning and social structure: a general theory of crime and deviance. Boston, Ma: Northeastern University Press, 1998.

ALLEN, J. P.; PORTER, M. R.; MCFARLAND, F. C. Leaders and followers in adolescent close friendships: susceptibility to peer influence as a predictor of risky behavior, friendship instability, and depression. Development and Psychopathology, v. 18, n. 1, p. 155-172, 2006.

AMMERMUELLER, A. Violence in European schools: victimization and consequences. Discussion Paper, Centre for European Economic Research (ZEW), Mannheim, Alemanha, p.1-40, 2007.

ARAUJO JUNIOR, A.; FAJNZYLBER, P. Crime e economia: Um estudo das microrregiões mineiras. Revista Econômica do Nordeste, v. 31, p. 630-659, 2000.

ASSINK, Mark et al. Risk factors for persistent delinquent behavior among juveniles: A meta-analytic review. Clinical psychology review, v. 42, p. 47-61, 2015.

BARTZ, M. L.; QUARTIERI, E. Da S.; DE FREITAS, T. A. Indisciplina e violência escolar: uma análise das escolas públicas do Rio Grande do Sul.Revista Estudo & Debate, v. 24, n. 3, p. 241-263, 2017.

BECKER, G. S. Crime and punishment: An economic approach. The economic dimensions of crime. London: Palgrave Macmillan, 1968. p. 13-68.

BECKER, K. L.; KASSOUF, A. L. Violência nas escolas públicas brasileiras: uma análise da relação entre o comportamento agressivo dos alunos e o ambiente escolar. Nova Economia, v. 26, n. 2, p. 663-677, 2016.

BRUMLEY, L. D.; JAFFEE, S. R. Defining and distinguishing promotive and protective effects for childhood externalizing psychopathology: a systematic review. Social psychiatry and psychiatric epidemiology, v. 51, n. 6, p. 803-815, 2016.

CARROLL, B. The effects of school violence and crime on academic achievement. Davidson College, 2006.

CERQUEIRA, D.; LOBÃO, W. Determinantes da criminalidade: arcabouços teóricos e resultados empíricos.Dados - Revista de Ciências Sociais, v. 47, n. 2, p. 233-269, 2004.

COSTA, P. R. Multiplicando os pontos de vista sobre a violência nas escolas: Estudo comparativo do clima escolar em duas escolas públicas de Belo Horizonte. 2005. Dissertação (mestrado em educação) – Faculdade de Educação da Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2005.

FARRINGTON, D. P. Childhood aggression and adult violence: Early precursors end later-life outcomes. In: PEPPLER, J; RUBIN K. (Ed.). The development and treatment of childhood aggression. Toronto: Psychology Press, 1990. p. 5-25.

FARRELL, A. D.; THOMPSON, E. L.; MEHARI, K. R. Dimensions of peer influences and their relationship to adolescents’ aggression, other problem behaviors and prosocial behavior. Journal of youth and adolescence, v. 46, n. 6, p. 1351-1369, 2017.

FREEMAN, R. B. The economics of crime. Handbook of Labor Economics. Amsterdam: Elsevier Science, 1999.

GRANERO, R.; PONI, E.S.; ESCOBAR-PONI, B.C.; ESCOBAR, J. Trends of violence among 7th, 8th and 9th grade students in the state of Lara, Venezuela: The Global School Health Survey 2004 and 2008. Arch Public Health, v. 69, n. 1, p. 7, 2011.

GREENE, W. H. Econometric analysis. New York: Pearson Education India, 2003.

GROGGER, J. Local violence and educational attainment. Journal of Human Resources, Madison, v. 32, n. 4, p. 659-682, 1997.

GUIMARÃES, M. E. Escola, galeras e narcotráfico. Rio de Janeiro: Editora da UFRJ, 1998.

HEAVNER, D. L.; LOCHNER, L. Social Networks and the Aggregation on Individual Decisions. National Bureau of Economic Research, 2002. Working Paper n. w8979.

HENRICH, C. C.; SCHWAB-STONE, M.; FANTI, K.; JONES, S. M.; RUCHKIN, V. The association of community violence exposure with middle-school achievement: a prospective study.Journal of Applied Developmental Psychology, v. 25, n. 3, p. 327-348, 2004.

LEITE, M. R. S. D. T. Projetos Sociais como Medida de Combate à Violência nas Escolas: Um Desafio Para o Setor Educacional Brasileiro. In: ENCONTRO DA ANPAD, 32, 2008, Rio de Janeiro. Anais do evento. Rio de Janeiro: ANPAD, 2008.

MACEDO, R.M.A.; BOMFIM, M.C.A. Violências na escola. Rev Diálogo Educ, v. 9, n. 28, p. 605-618, 2009.

MARTINS, A. M.; MACHADO, C.; FURLANETTO, E. C. Mediação de conflitos em escolas: entre normas e percepções docentes. Cadernos de Pesquisa, v. 46, n. 161, p. 566-592, 2016.

MCGARVEY, M.; SMITH, W. J; WALKER, M. B. The interdependence of school outcomes and school and neighborhood crime. Nebraska: Georgia State University, Department of Economics, 2006. Working Paper 07-19.

MOON, B. et al. Violence against teachers in South Korea: Negative consequences and factors leading to emotional distress. Violence and victims, v. 30, n. 2, p. 279-292, 2015.

OMS. World report on violence and health. Genebra: WHO, 2002.

RATNER, H. H.; CHIODO, L.; COVINGTON, C.; SOKOL, R. J.; AGER, J; DELANEY-BLACK, V. Violence exposure, IQ, academic performance, and children’s perception of safety: evidence of protective effects. Merrill-Palmer Quarterly, v. 52, n. 2, p. 264-287, 2006.

SPOSITO, M. P. Um breve balanço da pesquisa sobre violência escolar no Brasil. Educação e pesquisa, v. 27, n. 1, p. 87-103, 2001.

TAVARES, P. A.; PIETROBOM, F. C. Fatores associados à violência escolar: evidências para o Estado de São Paulo. Estudos Econômicos, v. 46, n. 2, p. 471-498, 2016.

TEIXEIRA, E. C.; KASSOUF, A. L. Impacto da violência nas escolas paulistas sobre o desempenho acadêmico dos alunos. Economia Aplicada, v. 19, n. 2, p. 221-240, 2015.

UNESCO. Lidando com a violência nas escolas: o papel da UNESCO/Brasil. Brasília, DF: Unesco, 2003.

WELSH, Ralph S. Delinquency, corporal punishment, and the schools. Crime & Delinquency, v. 24, n. 3, p. 336-354, 1978.

WOLFF, K. T.; BAGLIVIO, M. T. Adverse childhood experiences, negative emotionality, and pathways to juvenile recidivism. Crime & Delinquency, v. 63, n. 12, p. 1495-1521, 2017.

WOOLDRIDGE, J. M. Econometric analysis of cross section and panel data. Cambridge: MIT press, 2010.

Downloads

Publicado

20-12-2019

Como Citar

BARTZ, Maicker Leite; QUARTIERI, Ewerton da Silva; QUEIROZ, Vivian dos Santos. Fatores que afetam a prática de violência por alunos dentro do ambiente escolar no estado de Minas Gerais. Revista Brasileira de Segurança Pública, [S. l.], v. 13, n. 2, p. 142–157, 2019. DOI: 10.31060/rbsp.2019.v13.n2.982. Disponível em: https://revista.forumseguranca.org.br/index.php/rbsp/article/view/982. Acesso em: 15 abr. 2024.

Edição

Seção

Dossiê: Violência em contexto escolar e escola em contexto violento