Impacto da gestão nos indicadores de criminalidade:

aplicação do método ‘SIGA’ de tecnologia embarcada em áreas de maior ocorrência de delitos

Autores

  • Egon Marques Kvietinski BRIGADA MILITAR
  • Mauro Mastella Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre

DOI:

https://doi.org/10.31060/rbsp.2021.v15.n1.1009

Palavras-chave:

Gestão Policial. Circunscrição. Efetivo Operacional. Indicadores de Trabalho. Tecnologia Embarcada.

Resumo

A Emenda Constitucional nº 19/98 incluiu o Princípio da Eficiência no art. 37 da Constituição Federal, sendo de observância obrigatória pela administração pública. Além disso, diante da tendência de redução no contingente, sem perspectivas de mudança, é fundamental que o gestor de polícia conheça e aplique metodologias que qualifiquem o emprego do seu efetivo. O objetivo deste estudo é apresentar a aplicação do Sistema de Gerenciamento dos Indicadores do Avante (SIGA) de tecnologia embarcada em áreas de maior ocorrência de delitos e os seus resultados. A metodologia é de natureza quantitativa, sendo um estudo de caso exploratório do 20º Batalhão de Polícia Militar do Rio Grande do Sul e ainda de revisão bibliográfica e documental. Os resultados indicam que houve redução de 12,4% nos indicadores de criminalidade na área de aplicação do Método SIGA, enquanto fora dessa área houve aumento de 4,4%. Sobre o impacto da aplicação do Método SIGA nos indicadores de criminalidade, verifica-se que, entre a área da aplicação do Método e fora dela, houve uma diferença de mais de 16% nos indicadores de criminalidade. Os indicadores de criminalidade que se reduziram a partir da aplicação do Método SIGA foram roubo a pedestre, roubo e furto de veículo, roubo a estabelecimento comercial e homicídio doloso. Conclui-se que o Método SIGA corresponde a um meio de orientar a gestão operacional de uma corporação de polícia ostensiva quanto ao número de policiais que devem ser alocados, com base nos indicadores de criminalidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Egon Marques Kvietinski, BRIGADA MILITAR

Tenente Coronel da Polícia Militar, Mestrando em Sociologia/Segurança Cidadã pela UFRGS, Especialista em Gestão Pública, Trânsito e Direito Público.

Mauro Mastella, Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre

Professor Adjunto na Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFCSPA), junto ao Programa de Pós Graduação em Tecnologia da Informação e Gestão em Saúde (PPGTIG). Departamento de Ciências Exatas e Sociais Aplicadas. Pesquisador nas áreas de Finanças, Gestão Pública e Gestão em Saúde.

Referências

BRASIL. Ministério do Exército. Manual Básico de Policiamento Ostensivo. Porto Alegre: CORAG.

BRATTON, William J.; MALINOWSKI, Sean W. Police performance management in practice: Taking COMPSTAT to the next level. Policing: A Journal of Policy and Practice, v. 2, n. 3, p. 259-265, 2008.

CHIAVENATTO, Idalberto. Recursos Humanos. 10. ed. São Paulo: Atlas, 2015.

COLLADOS, Miguel Camacho. Statistical Analysis of Spatio-Temporal Crime Patterns: Optimization of Patrolling Strategies. 2016. 173 f. Tese (Doutorado em Estatística) –Universidade de Granada, Espanha, 2016.

CRITCHLOW, Rob et al. Improving Ranger Patrol Effectiveness and Efficiency Using Law Enforcement Monitoring Data. Uganda, 2014.

FÓRUM BRASILEIRO DE SEGURANÇA PÚBLICA. Anuário Brasileiro de Segurança Pública de 2017. São Paulo: Fórum Brasileiro de Segurança Pública, 2017.

FREITAS, Juarez. O controle dos atos administrativos e os princípios constitucionais. 5. ed. São Paulo: Malheiros, 2013.

GIL, Antônio Carlos. Métodos e técnicas de pesquisa social. 8. ed. São Paulo: Atlas, 2012.

GREENE, Jack R. (Org.). Administração do Trabalho Policial. São Paulo: EDUSP, 2002.

KARN, Jacqui. Policing and Crime Reduction: The evidence and its implications for practice. Police Foundation, 2013.

KVIETINSKI, Egon Marques. Método para Utilização de Tecnologia Embarcada e de Indicadores de Trabalho na Gestão de Efetivo Operacional. 2015. 34 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Especialização em Políticas e Gestão em Segurança Pública) – Academia de Polícia Militar, Porto Alegre, 2015.

MOHLER, G. O. et al. Randomized Controlled Field Trials of Predictive Policing. Journal of the American Statistical Association, v. 110, 2015.

NIQUE, W.; LADEIRA, W. Pesquisa de marketing: uma orientação para o mercado brasileiro. São Paulo: Atlas, 2014.

ODON, Tiago Ivo. Segurança Pública: os Brasileiros Não Podem Mais Esperar. Brasília, DF, 2018.

RACHIDE, Rinaldo Rodrigues. Inovação Tecnológica Utilizando GPS e GPRS no Policiamento Rodoviário do Estado de São Paulo. 2009. 116 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Aperfeiçoamento de Oficiais) – Centro de Aperfeiçoamento e Estudos Superiores, São Paulo, 2009.

RIO GRANDE DO SUL. Nota de Instrução Operacional nº 30, de 7 de agosto de 2008. Institui os indicadores de eficiência operacional e de criminalidade da Brigada Militar. Boletim Geral, Porto Alegre, 2008.

ROESCH, S. Projetos de estágio e de pesquisa em administração. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2010.

SHERMAN, Lawrence W. Evidence-Based Policing. Arlington, VA: Police Foundation, 1998.

SILVEIRA NETO et al. Avaliação de política pública para redução da violência: o caso do programa Pacto pela Vida do Estado de Pernambuco. In: ENCONTRO NACIONAL DE ECONOMIA, 41, 2013, Foz do Iguaçu. Anais... Foz do Iguaçu: ANPEC, 2013.

TELEP, Cody W.; WEISBURD, David. What is known about the effectiveness of police practices in reducing crime and disorder?. Police quarterly, v. 15, n. 4, p. 331-357, 2012.

VERGARA, Sylvia Constant. Métodos de pesquisa em administração. São Paulo: Atlas, 2005.

YIN, Robert K. Estudo de caso: planejamento e métodos. 2. ed. Porto Alegre: Bookman, 2010.

Downloads

Publicado

01-03-2021

Como Citar

KVIETINSKI, Egon Marques; MASTELLA, Mauro. Impacto da gestão nos indicadores de criminalidade:: aplicação do método ‘SIGA’ de tecnologia embarcada em áreas de maior ocorrência de delitos. Revista Brasileira de Segurança Pública, [S. l.], v. 15, n. 1, p. 92–111, 2021. DOI: 10.31060/rbsp.2021.v15.n1.1009. Disponível em: https://revista.forumseguranca.org.br/index.php/rbsp/article/view/1009. Acesso em: 23 abr. 2024.