Os impactos do medo do crime sobre o consumo de atividades de lazer no Brasil

Autores

  • Cristiano Aguiar de Oliveira Universidade Federal do Rio Grande
  • Daniele Mendes Silva

DOI:

https://doi.org/10.31060/rbsp.2021.v15.n1.1179

Palavras-chave:

Medo do crime; atividades de lazer; economia do crime; Probit bivariado recursivo

Resumo

As altas taxas de criminalidade que o Brasil apresenta gera inúmeros impactos para a sociedade. Entre esses impactos estão o medo de ser vítima do crime e as mudanças de comportamento dos indivíduos. Neste sentido, este estudo tem o objetivo de avaliar como o medo do crime afeta o consumo de atividades de lazer dos indivíduos, tais como ir a cinemas, shoppings, parques, eventos esportivos, feiras, bares, restaurantes e shows. Para este fim, este estudo utiliza os dados da Pesquisa Nacional de Vitimização do ano de 2012 para estimar um Probit bivariado recursivo, um modelo capaz de lidar com potenciais problemas de endogeneidade. Os resultados indicam que o medo reduz a probabilidade do consumo de lazer na maioria das atividades investigadas, com destaque para eventos esportivos, contudo, foi observado um aumento no consumo de atividades que oferecem mais segurança para os clientes, tais como feiras e shopping centers. O estudo conclui que a criminalidade traz perdas de bem-estar que vão além das perdas econômicas costumeiramente contabilizadas em estudos de custos do crime, pois, não se pode ignorar que o medo do crime é capaz de reduzir a liberdade dos indivíduos e, consequentemente, de trazer perdas até então não observadas para as atividades econômicas.

Biografia do Autor

Cristiano Aguiar de Oliveira, Universidade Federal do Rio Grande

Professor do Programa de Pós-Graduação em Economia Aplicada da Universidade Federal do Rio Grande (PPGE/Furg).

Daniele Mendes Silva

Mestre em Economia Aplicada pelo Programa de Pós-Graduação em Economia Aplicada da Universidade Federal do Rio Grande - PPGE/FURG. Bacharela em Ciências Econômicas pela Universidade Federal de Ouro Preto (2016). Tem interesse em temas que envolvem análise de políticas públicas, métodos quantitativos aplicados à economia, econometria, estatística espacial, desenvolvimento regional, economia social, mercado de capitais, área financeira e qualidade.

Downloads

Publicado

2021-03-22