Ocorrência de violência intrafamiliar relacionada ao consumo de álcool e outras drogas no Brasil

Autores

  • Grazielle Neves Soares Escola de Saúde Pública do Estado de Minas Gerais
  • Marconi Moura Fernandes UFMG
  • Aline Maria Figueiredo Ko da Cunha Escola de Saúde Pública do Estado de Minas Gerais
  • Luís Paulo Souza e Souza Universidade Federal de São João del Rei

DOI:

https://doi.org/10.31060/rbsp.2021.v15.n2.1212

Palavras-chave:

Violência na Família, Bebidas Alcoólicas, Comportamento de Fumar, Abuso de Drogas, Drogas Ilícitas

Resumo

Objetivou-se analisar a produção científica brasileira acerca da relação entre o consumo de álcool e de outras drogas (AD) e a ocorrência da violência intrafamiliar (violência na família). Revisão integrativa, utilizando todas as bases de dados incluídas na Biblioteca Virtual em Saúde, selecionando artigos publicados entre 2013 a 2019, em português, disponíveis na íntegra eletronicamente e com acesso gratuito. A partir dos 42 estudos selecionados, foi possível observar um papel importante no consumo de álcool e outras drogas na ocorrência da violência intrafamiliar, indicando na maior parte dos artigos o uso do álcool e de outras drogas como um dos principais fatores (propiciador, influenciador, motivador, desencadeador) da violência intrafamiliar. Em contrapartida, também foi descrito que o consumo AD pode ser consequência da violência intrafamiliar, podendo atuar como um ciclo de consumo e reação, atuando a violência como propulsora do uso e vice-versa, descrevendo o uso de AD como importante, mas não unicausal para a violência intrafamiliar. Foi possível analisar a interferência do consumo de AD na violência intrafamiliar, com seus diversos membros (mulheres, crianças, adolescentes, idosos) e sob vários aspectos, sugerindo que o álcool é a principal substância lícita envolvida no fenômeno da violência, assim como outras drogas ilícitas, mesmo que em menor proporção, no Brasil. Apesar da violência na família ser multifatorial, torna-se essencial considerar o efeito do AD na ocorrência deste agravo, pois eles ocorrem simultaneamente e compartilham um conjunto complexo de fatores de risco, com graves efeitos psicosocioeconômicos individuais e coletivamente, requerendo ações intersetoriais para seu enfrentamento.

Biografia do Autor

Grazielle Neves Soares, Escola de Saúde Pública do Estado de Minas Gerais

Enfermeira, Especialista em Atençao a Usuário de Drogas no SUS pela Escola de Saúde Pública do Estado de Minas Gerais (ESPMG). Enfermeira da Secretaria Municipal de Saúde de Betim. Minas Gerais, Brasil.

Marconi Moura Fernandes, UFMG

Psicólogo. Mestre em Enfermagem e Saúde pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Psicólogo Clínico, Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil. 

Aline Maria Figueiredo Ko da Cunha, Escola de Saúde Pública do Estado de Minas Gerais

Psicóloga. Especialista em Atenção a Usuários de Drogas no SUS pela Escola de Saúde Pública do Estado de Minas Gerais (ESPMG). Psicóloga da Prefeitura Municipal de Belo Horizonte. Minas Gerais, Brasil.

Luís Paulo Souza e Souza, Universidade Federal de São João del Rei

Enfermeiro. Doutor em Saúde Pública pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Professor do Departamento de Medicina da Universidade Federal de São João del Rei (UFSJ), campus Dom Bosco. Professor Credenciado da Escola de Saúde Pública do Estado de Minas Gerais (ESPMG). Minas Gerais, Brasil.

Referências

AGUIAR, C.M.D. de; MENEZES, J.de A. Vivências sexuais de mulheres jovens usuárias de crack. Barbarói, v.49, p.214-238, 2017. Disponível em: https://online.unisc.br/seer/index.php/barbaroi/article/view/8943. Acesso em: 18 fev. 2019.

AGUIAR, J.R.V. de; SILVA, G.M. e; MONTE, N.L. Estudo sobre a violência sexual em Serviço de Atendimento à Mulher. Revista de Enfermagem da UFPI, v.3, n.4, p.79-87, 2014. Disponível em: http://ojs.ufpi.br/index.php/reufpi/article/view/3322/pdf. Acesso em: 18 fev. 2019.

ALBUQUERQUE, A.L. de; SILVA, W.C. da. Perfil da violência sexual contra mulheres atendidas no serviço de apoio à mulher. Revista de Enfermagem UFPE On Line, v.11, supl.5, p.2106-2115,2017. Disponível em: https://periodicos.ufpe.br/revistas/revistaenfermagem/article/viewFile/23365/18994. Acesso em: 18 fev. 2019.

ANDRADE, R.F.V.; ARAÚJO, M. A. L.; DOURADO, M. I. C.; MIRANDA, A. B. E.; REIS, C. B. da S. Prevalência e fatores associados à violência entre parceiros íntimos após a revelação do diagnóstico de doenças sexualmente transmissíveis ao parceiro. Cadernos de Saúde Pública, v.32, n.7, e00008715, 2016. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2016000705007&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 18 fev. 2019.

ANDREUCCETTI, G.; CHERPITEL, C. J.; CARVALHO, H. B.;LEYTON, V.; MIZIARA, I. D.; MUNOZ, D. R.; REINGOLD, A. L.; LEMOS, N. P. Alcohol in combination with illicit drugs among fatal injuries in Sao Paulo, Brazil: an epidemiological study on the association between acute substance use and injury. Injury, v.49, n.12, p.2186-2192, 2018.

ARAÚJO, W.S.C. de; SILVA, A. F. da; ESTRELA, F. M.; LÍRIO, J. G. dos S.; CRUZ, M. A. da; SANTOS, J. R. L. S.; PEREIRA, A. A influência do consumo de bebidas alcoólicas na ocorrência de violência por parceiro íntimo: revisão integrativa. Arquivos de Ciências da Saúde da UNIPAR, v.22, n.2, p.117-122, 2018. Disponível em: http://revistas.unipar.br/index.php/saude/article/view/6380. Acesso em: 18 fev. 2018.

BENNETT, L.; O’BRIEN, P. Effects of coordinated services for drug-abusing women who are victims of intimate partner violence. Violence Against Women, v.13, n.4, p.395-411, 2007.

BES, T.M.; LOPES, F. A. R.; MORGAN, G. J.; RIBEIRO, M. S.; DUARTE, W. R. Relação da violência intrafamiliar e o uso abusivo de álcool ou entorpecentes na cidade de Pelotas, RS. Revista AMRIGS, v.57, n.1, p. 9-13, mar. 2013. Disponível em: http://bases.bireme.br/cgi-bin/wxislind.exe/iah/online/?IsisScript=iah/iah.xis&src=google&base=LILACS&lang=p&nextAction=lnk&exprSearch=686151&indexSearch=ID. Acesso em: 18 fev. 2019.

BRASIL. Lei nº 10.741, de 1º de outubro de 2003. Dispõe sobre o Estatuto do Idoso e dá outras providências. Brasília: Ministério dos Direitos Humanos, 2003b.

BRASIL. Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006. Cria mecanismos para coibir a violência doméstica e familiar contra a mulher, nos termos do § 8º do art. 226 da Constituição Federal, da Convenção sobre a Eliminação de Todas as Formas de Discriminação contra as Mulheres e da Convenção Interamericana para Prevenir, Punir e Erradicar a Violência contra a Mulher; dispõe sobre a criação dos Juizados de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher; altera o Código de Processo Penal, o Código Penal e a Lei de Execução Penal; e dá outras providências. Brasília: Ministério dos Direitos Humanos, 2006b.

BRASIL. Lei nº 11.343, de 23 de agosto de 2006. Institui o Sistema Nacional de Políticas Públicas sobre Drogas –Sisnad; prescreve medidas para prevenção do uso indevido, atenção e reinserção social de usuários e dependentes de drogas; estabelece normas para repressão à produção não autorizada e ao tráfico ilícito de drogas; define crimes e dá outras providências. Brasília: Ministério da Saúde, 2006a.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Gestão Estratégica e Participativa. Departamento de Monitoramento e Avaliação da Gestão do SUS. Temático prevenção de violência e cultura de paz III. Brasília: Organização Pan-Americana de Saúde, 2008.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Políticas de Saúde. Violência intrafamiliar: orientações para a prática em serviço. Cadernos de Atenção Básica Nº 8. Série A – Normas e Manuais Técnicos; nº 131. Brasília: Ministério da Saúde, 2002.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Vigilância de Doenças e Agravos não Transmissíveis e Promoção da Saúde. Vigitel Brasil 2018: vigilância de fatores de risco e proteção para doenças crônicas por inquérito telefônico: estimativas sobre frequência e distribuição sociodemográfica de fatores de risco e proteção para doenças crônicas nas capitais dos 26 Estados brasileiros e no Distrito Federal em 2018. Brasília: Ministério da Saúde, 2019.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria Executiva. Coordenação Nacional de DST/Aids. A Política do Ministério da Saúde para atenção integral a usuários de álcool e outras drogas. Ministério da Saúde, Secretaria Executiva, Coordenação Nacional de DST e Aids. Brasília: Ministério da Saúde, 2003a.

BRASIL. Ministério dos Direitos Humanos. Lei nº 8.069, de 13 de julho de 1990. Dispõe sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente e dá outras providências. Brasília: Ministério dos Direitos Humanos, 1990.

BRASIL. Ministério dos Direitos Humanos. Secretaria Nacional de Proteção dos Direitos da Criança e Adolescente. Violência contra Crianças e Adolescentes: Análise de Cenários e Propostas de Políticas Públicas. Elaboração de Marcia Teresinha Moreschi. Brasília: Ministério dos Direitos Humanos, 2018. Disponível em: https://www.mdh.gov.br/biblioteca/consultorias/conada/violencia-contra-criancas-e-adolescentes-analise-de-cenarios-e-propostas-de-politicas-publicas.pdf. Acesso em: 20 maio. 2019.

BRASIL. Observatório da Mulher contra a Violência. Panorama da violência contra as mulheres no Brasil: indicadores nacionais e estaduais. Brasília: Senado Federal, 2016b. Disponível em: http://www2.senado.leg.br/bdsf/item/id/529424. Acesso em: 20 maio 2019.

BRASIL. Pesquisa nacional de saúde do escolar: 2015. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE, Coordenação de População e Indicadores Sociais. Rio de Janeiro: IBGE, 2016a.

BRASIL. Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República. Brasil: manual de enfrentamento à violência contra a pessoa idosa. É possível prevenir. É necessário superar. Texto de Maria Cecília de Souza Minayo. Brasília, DF: Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, 2014.

BRASIL. Senado Federal. Violência doméstica e familiar contra a mulher. Coordenação de Controle Social, Serviço de Pesquisa DataSenado. Brasília: Senado Federal, 2015. Disponível em: https://www12.senado.leg.br/institucional/omv/entenda-a-violencia/relatorios/pesquisa-datasenado-2015-relatorio-e-tabelas-descritivas. Acesso em: 18 fev. 2019.

CARAVACA-MORERA, J.A.; PADILHA, M.I. A dinâmica das relações familiares de moradores de rua usuários de crack. Saúde em Debate, v.39, n.106, p.748-759, 2015. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-11042015000300748&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 18 fev. 2019.

CARNEIRO, J.F.; VALONGUEIRO, S.; LUDERMIR, A. B.; ARAÚJO, T. V. B. de. Violência física pelo parceiro íntimo e uso inadequado do pré-natal entre mulheres do Nordeste do Brasil. Revista Brasileira de Epidemiologia, v.19, n.2, p.243-255, 2016. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1415-790X2016000200243&script=sci_abstract&tlng=pt. Acesso em: 18 fev. 2019.

CLARO, H. G.; OLIVEIRA, M. A. F. de; TITUS, J. C.; FERNANDES, I. F. de A. L.; PINHO, P. H.; TARIFA, R. R. Uso de drogas, saúde mental e problemas relacionados ao crime e à violência: estudo transversal. Revista Latino-Americana de Enfermagem, v.23, n.6, p.1173-1180, 2015. Disponível em:http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-11692015000601173&lng=pt&nrm=iso. Acesso em: 18 fev. 2019.

COSTA, A.P.S. da; OLIVEIRA, D. A. de; RODRIGUES, M. P.; FERREIRA, M. A. F. Violência doméstica e abuso de álcool e drogas na adolescência. Revista Ciência Plural, v.1, n.2, p.48-56, 2015. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/rcp/article/view/7616. Acesso em: 21 maio 2019.

DAHLBERG, L.; KRUG, E. Violência: Um problema global de saúde pública. Ciência & Saúde Coletiva, v.11, Supl. 1, p.1163-1178, 2006. Disponível em: https://www.scielo.br/j/csc/a/jGnr6ZsLtwkhvdkrdfhpcdw/?lang=PT. Acesso em: 18 fev. 2019.

ESPER, L.H.; CORRADI-WEBSTER, C. M.; CARVALHO, A. M. P.; FURTADO, E. F. Mulheres em tratamento ambulatorial por abuso de álcool: características sociodemográficas e clínicas. Revista Gaúcha de Enfermagem, v.34, n.2, p.93-101, 2013. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1983-14472013000200012&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 18 fev. 2019.

FONTES, L.F.C.; CONCEIÇÃO, O.C.; MACHADO, S. Violência sexual na adolescência, perfil da vítima e impactos sobre a saúde mental. Ciência & Saúde Coletiva, v.22, n.9, p.2919-2928, 2017. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232017002902919&lng=pt&nrm=iso. Acesso em: 18 fev. 2019.

FREITAS, N.A.; SILVA, A.V.S; BRASIL, A.C.O.; BASTOS, V.P.D; FERNANDES, L.C.B.C. Perfil clínico-epidemiológico de adolescentes e jovens vítimas de ferimento por arma de fogo. Cadernos Saúde Coletiva, v.25, n.4, p.429-435, 2017. Disponível em: https://www.scielo.br/j/cadsc/a/C5x8CWHv3fdNVZCzqbJS7sL/?format=pdf&lang=pt. Acesso em: 18 fev. 2019.

GBD – GLOBAL BURDEN OF DISEASES. Alcohol use and burden for 195 countries and territories, 1990–2016: a systematic analysis for the Global Burden of Disease Study 2016. The Lancet, v.392, n.10152, p.1015-1035, 2018.

GEBARA, C.F.de P.; FERRI, C. P.; LOURENÇO, L. M.; VIEIRA, M. de T.; BHONA, F. M. de C.; NOTO, A. R. Patterns of domestic violence and alcohol consumption among women and the effectiveness of a brief intervention in a household setting: a protocol study. BMC Womens Health, v.15, p.78, 2015.

GOMES SATO SGOBERO, J.K.; LORENNA VICCENTINE COUTINHO MONTESCHIO, L.V.C.; ZURITA, R.C.M.; OLIVEIRA, R.R.; MATHIAS, T.A.F. Violência física por parceiro íntimo na gestação: prevalência e alguns fatores associados. Aquichan, v.15, n.3, p.339-350, 2015. Disponível em: http://www.scielo.org.co/scielo.php?pid=S1657-59972015000300003&script=sci_abstract&tlng=pt. Acesso em: 18 fev. 2019.

GRAHAM, K.;BERNARDS, S.; WILSNACK, S. C.; GMEL, G. Alcohol may not cause partner violence but it seems to make it worse: a cross-national comparison of the relationship between alcohol and severity of partner violence. Journal of Interpersonal Violence, v.26, n.8, p.1503-1523, 2011.

HAIEK, R.de C.; MARTIN, D.; ROCHA, F. C. M.; RAMIRO, F. de S.; SILVEIRA, D. X. da.Uso de drogas injetáveis entre mulheres na Região Metropolitana de Santos, São Paulo, Brasil. Physis: Revista de Saúde Coletiva, v.26, n.3, p.917-937, 2016. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-73312016000300917&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 18 fev. 2019.

HRW – HUMANS RIGHTS WATCH. World Report 2019–Events of 2018. United States of America: HRW, 2019. Disponível em: https://www.hrw.org/sites/default/files/world_report_download/hrw_world_report_2019.pdf. Acesso em: 29 mar. 2019.

INCA – INSTITUTO NACIONAL DE CÂNCER JOSÉ ALENCAR GOMES DA SILVA. Vigitel 2017 e Estimativa de Consumo de Cigarros Ilícitos no Brasil. Divisão de Pesquisa Populacional. Secretaria Executiva da Comissão Nacional para Implementação da Convenção-Quadro para o Controle do Tabaco (SE-CONICQ). Rio de Janeiro: Ministério da Saúde, 2017. Disponível em: https://www.inca.gov.br/sites/ufu.sti.inca.local/files//media/document//vigitel-2017-estimativa-de-consumo-de-cigarros-ilicitos-no-brasil.pdf. Acesso em: 20 maio 2019.

IPEA – INSTITUTO DE PESQUISA ECONÔMICA APLICADA; FBSP – FÓRUM BRASILEIRO DE SEGURANÇA PÚBLICA. Atlas da Violência 2018. Rio de Janeiro: Ipea/FBSP, jun. 2018.

LARANJEIRA, R.; DUAILIBI, S.M.; PINSKY, I. Álcool e violência: a psiquiatria e a saúde pública. Revista Brasileira de Psiquiatria, v.27, n.3, p.176-177, 2005.

LEITE, F.M.C.; AMORIM, M. H. C.; WEHRMEISTER, F. C.; GIGANTE, D. P. Violência contra a mulher em Vitória, Espírito Santo, Brasil. Revista de Saúde Pública, v.51, n.33, 2017. Disponível em:http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-89102017000100223&lng=pt&nrm=iso. Acesso em: 18 fev. 2019.

LEONARD, K.E. Alcohol and intimate partner violence: when can we say that heavy drinking is a contributing cause of violence?. Addiction, v.100, n.4, p.422-425, 2005.

LINDNER, S.R.; COELHO, E. B. S.; BOLSONI, C. C.; ROJAS, P. F.; BOING, A. F. Prevalência de violência física por parceiro íntimo em homens e mulheres de Florianópolis, Santa Catarina, Brasil: estudo de base populacional. Cadernos de Saúde Pública, v.31, n.4, p.815-826, 2015. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0102-311X2015000400815&script=sci_abstract&tlng=pt. Acesso em: 18 fev. 2019.

LIRA, M.O.S.C.; RODRIGUES, V.P.; RODRIGUES, A.D.; COUTO, T.M.; GOMES, N.P.; DINIZ, N.M.F. Abuso sexual na infância e suas repercussões na vida adulta. Texto & Contexto Enfermagem, v.26, n.3, p.e0080016, 2017. Disponível em: https://www.scielo.br/j/tce/a/Fq8Cg6F7bcbZRNhxFqKTMTR/?format=pdf&lang=pt. Acesso em: 18 fev. 2019.

LUCCHESE, R.; CAIXETA F. de C.; SILVA, Y. V.; VERA, I.; FELIPE, R. L. de; CASTRO, P. A. de. Histórico de violência contra a mulher que vivencia o abuso de álcool e drogas. Revista de Enfermagem UFPE On Line, v. 11, supl.9, p.3623-3631, set. 2017. Disponível em: https://periodicos.ufpe.br/revistas/revistaenfermagem/article/view/234505/27717. Acesso em: 18 fev. 2019.

MACHADO, J. C.; RODRIGUES, V. P.; VILELA, A. B. A.; SIMÕES, A. V.; MORAIS, R. L. G. L.; ROCHA, E. N. Violência intrafamiliar e as estratégias de atuação da equipe de Saúde da Família. Saúde e Sociedade, v.23, n.3, p.828-840, 2014.

MADALENA, T.S.; SARTES, L.M.A. Usuários de crack em tratamento em Comunidades Terapêuticas: perfil e prevalência. Arquivos Brasileiros de Psicologia, v.70, n.1, p.21-36, 2018. Disponível em:http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1809-52672018000100003&lng=pt&nrm=iso. Acesso em: 18 fev. 2019.

MARTINS, A.G.; NASCIMENTO, A.R.A. do. Violência doméstica, álcool e outros fatores associados: uma análise bibliométrica. Arquivos Brasileiros de Psicologia, v.69,n.1,p.107-121, 2017. Disponível em:http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1809-52672017000100009&lng=pt&nrm=iso. Acesso em: 18 fev. 2019.

MENDES, K.D.S.; SILVEIRA, R.C.de C.P.; GALVÃO, C.M. Revisão integrativa: método de pesquisa para a incorporação de evidências na saúde e na enfermagem. Texto & Contexto Enfermagem, Florianópolis, v.17, n.4, p.758-764, 2008. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-07072008000400018&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 20 maio 2019.

MINAYO, M.C.de S.; SOUZA, E. R. de; SILVA, M. M. A. da; ASSIS, S. G. de. Institucionalização do tema da violência no SUS: avanços e desafios. Ciência & Saúde Coletiva, v.23, n.6, p.2007-2016, 2018.

MOREIRA, D.P.; VIEIRA, L. J. E. de S.; PORDEUS, A. M. J.; LIRA, S. V. G.; LUNA, G. L. M.; SILVA, J. G. e; MACHADO, M. de F. A. S. Exposição à violência entre adolescentes de uma comunidade de baixa renda no Nordeste do Brasil. Ciência & Saúde Coletiva, v.18,n.5, p.1273-1282, 2013. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1413-81232013000500012&script=sci_abstract&tlng=pt. Acesso em: 18 fev. 2019.

MOREIRA, G.A.R.; SOARES, P. S.; FARIAS, F. N. R.; VIEIRA, L. J. E. de S. Notificações de violência sexual contra a mulher no Brasil. Revista Brasileira em Promoção da Saúde, v.28, n.3, p.327-336, 2015. Disponível em: https://periodicos.unifor.br/RBPS/article/view/3877. Acesso em: 18 fev. 2019.

MOREIRA, T.C.; BELMONTE, E. L.; VIEIRA, F. R.; NOTO, A. R.; FERIGOLO, M.; BARROS, H. M. T. Community violence and alcohol abuse among adolescents: a sex comparison. Jornal de Pediatria, v.84, n.3, p.244-250, 2008.

OLIVEIRA, L.A.S. de; LEAL, S.M.C. Mulheres em situação de violência que buscaram apoio no centro de referência GenyLehnen/RS. Enfermagem em Foco, v.7, n.2, p. 78-82, 2016. Disponível em: http://revista.cofen.gov.br/index.php/enfermagem/article/view/800. Acesso em: 18 fev. 2019.

OLIVEIRA, W.A. de; SILVA, M. A. I.; SILVA, J. L. da; MELLO, F. C. M. de; PRADO, R. R. do; MALTA, D. C. Associações entre a prática de bullying e variáveis individuais e de contexto na perspectiva dos agressores. Jornal de Pediatria, v.92, n.1, p.32-39, 2016. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0021-75572016000100032&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 18 fev. 2019.

OMS – ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE. Global report on trends in prevalence of tobacco smoking 2000-2025.2 ed. OMS, 2018b.

OMS – ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE. Global status report on alcohol and health 2018. OMS, 2018a.

OMS – ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE. Preventing violence by reducing the availability and harmful use of alcohol. OMS, 2009. [Series of briefings on violence prevention: the evidence].

OMS – ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE. World health statistics 2017: monitoring health for the SDGs, sustainable development goals. OMS, 2017.

OPAS – ORGANIZAÇÃO PAN-AMERICANA DA SAÚDE. Folha informativa– Violência contra as mulheres. OPAS, Brasil, 2017. Disponível em: https://www.paho.org/bra/index.php?option=com_content&view=article&id=5669:folha-informativa-violencia-contra-as-mulheres&Itemid=820. Acesso em: 29 mar. 2019.

ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE - OMS. Version of the Introduction to the World Report on Violence and Health. Genebra: OMS; 2002. Disponível em: https://www.who.int/violence_injury_prevention/violence/world_report/en/introduction.pdf. Acesso em: 18 fev. 2019.

REICHENHEIM, M.E.; SOUZA, E. R. de; MORAES, C. L.; JORGE, M. H. P. de M.; SILVA, C. M. F. P. da; MINAYO, M. C. de S. Violência e lesões no Brasil: efeitos, avanços alcançados e desafios futuros. The Lancet, p.75-89, 2011. Disponível em: https://www.thelancet.com/pb/assets/raw/Lancet//pdfs/brazil/brazilpor5.pdf. Acesso em: 16 fev. 2019.

REIS, L.M. dos; UCHIMURA, T.T.; OLIVEIRA, M.L.F. de. Perfil socioeconômico e demográfico em uma comunidade vulnerável ao uso de drogas de abuso. Acta Paulista de Enfermagem, v.26, n.3, p.276-282,2013.Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-21002013000300012&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 18 fev. 2019.

ROMAGNOLI, R.C. A violência contra a mulher em Montes Claros. Barbarói, v.43, p.27-47, 2015. Disponível em: https://online.unisc.br/seer/index.php/barbaroi/article/view/4815. Acesso em: 18 fev. 2019.

SAMPAIO, R.F.; MANCINI, M.C. Estudos de revisão sistemática: um guia para síntese criteriosa da evidência científica. Revista Brasileira de Fisioterapia, v.11, n.1, p.83-89, 2007.

SANTOS, C. M. da C.; PIMENTA, C. A. de M.; NOBRE, M.R. C. A estratégia PICO para a construção da pergunta de pesquisa e busca de evidências. Revista Latino-Americana deEnfermagem, v.15, n.3, p.508-511, 2007.

SILVA JUNIOR, F.J.G. da; TOLENTINO, E.S.; OLIVEIRA, A.K.S.; MONTEIRO, C.F.S. Dependência química e violência no universo feminino: revisão integrativa. Revista de Pesquisa Cuidado é Fundamental Online, v.8, n.3, p.4681–4688, 2016. Disponível em: http://www.seer.unirio.br/cuidadofundamental/article/view/4274. Acesso em: 18 fe. 2019.

SILVA, A.C.L.G. da; COELHO, E.B.S.; NJAINE, K. Violência conjugal: as controvérsias no relato dos parceiros íntimos em inquéritos policiais. Ciência & Saúde Coletiva, v.19, n.4, p.1255-1262, 2014. Disponível em: https://doi.org/10.1590/1413-81232014194.01202013. Acesso em: 18 fev. 2019.

SILVA, C.D.; GOMES, V. L. de O.; MOTA, M. S.; GOMES, G. C.; AMARIJO, C. L. Violência contra a mulher: agressores usuários de drogas ilícitas. Revista de Pesquisa Cuidado é Fundamental Online, v.7, n.2, p.2494-2504, 2015. Disponível em: https://www.redalyc.org/pdf/5057/505750946026.pdf. Acesso em: 18 fev. 2019.

SILVA, C.F.S.; DIAS, C.M. de S.B. Violência contra idosos na família: motivações, sentimentos e necessidades do agressor. Psicologia: Ciência e Profissão, v.36, n.3, p.637-652, jul./set. 2016. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/pcp/v36n3/1982-3703-pcp-36-3-0637.pdf. Acesso em: 18 fev. 2019.

SILVA, S.É.D. da; PADILHA, M.I. O alcoolismo na história de vida de adolescentes: uma análise à luz das representações sociais. Texto & Contexto Enfermagem, v.22, n.3, p.576-584, 2013. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-07072013000300002&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 18 fev. 2019.

SILVEIRA, D.X.; DOERING-SILVEIRA, E.B. Padrões de uso de drogas: eixo, políticas e fundamentos. Senad– Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas. Brasília: Ministério da Saúde, 2017.

SOARES, J.R.; FARIAS, S. N. P. de; DONATO, M.; MAURO, M. Y. C.; ARAÚJO, E. F. dos S.; GHELMAN, L. G. A importância da família no processo de prevenção da recaída no alcoolismo. Revista de Enfermagem da UERJ, v.22, n.3, p.341-346, 2014. Disponível em: https://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/enfermagemuerj/article/view/13691. Acesso em: 18 fev. 2019.

SOUSA, A.K.A. de; NOGUEIRA, D.A.; GRADIM, C.V.C. Perfil da violência doméstica e familiar contra a mulher em um município de Minas Gerais, Brasil.Cadernos Saúde Coletiva, v.21,n.4,p.425-431, 2013. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1414-462X2013000400011&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 18 fev. 2019.

SOUTO, R.M.C.V.; BARUFALDI, L. A.; NICO, L. S.; FREITAS, M. G. de. Perfil epidemiológico do atendimento por violência nos serviços públicos de urgência e emergência em capitais brasileiras, Viva 2014. Ciência & Saúde Coletiva, v.22, n.9, p.2811-2823,2017. Disponível em:http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232017002902811&lng=pt&nrm=iso. Acesso em: 18 fev. 2019.

SOUZA e SOUZA, L.P.; COELHO, D. M. P.; SOUZA, A. G. de; RUAS, F. R. B.; FIGUEIREDO, T.; ALCÂNTARA, D. D. F.; SILVA, C. S. de O. “Em briga de marido e mulher, não se mete a colher?” Análise da violência baseado no gênero e o papel do setor saúde. Revista Eletrônica Gestão & Saúde, v.6, n.1, p.79-94, 2015. Disponível em: http://periodicos.unb.br/index.php/rgs/article/view/2529. Acesso em: 20 maio. 2019.

SOUZA e SOUZA, L.P.; RUAS, R. F. B.; BRITO, M. F. S. F.; LEITE, M. T. de S.; SOARES, S. M. “Café & prosa com as Marias”: avaliação das mulheres sobre grupos operativos no manejo da violência de gênero. Revista de Educação Popular, v.16, n.1, p.92-103, jun. 2017.

SOUZA e SOUZA, L.P.; SOUZA, A. G. de; FIGUEIREDO, T.; BRITO, M. F. S. F.; LEITE, M. T. S.; SOUZA, K. V. de.Violência de Gênero: o silêncio e enfrentamento vivido pelas mulheres à luz da fenomenologia social. Revista de EnfermagemUFPEOn Line, v.10, n.10, p.3842-3850, 2016. Disponível em: https://periodicos.ufpe.br/revistas/revistaenfermagem/article/download/11451/13271. Acesso em: 20 maio 2019.

SOUZA, M. R.R. de; OLIVEIRA, J. F. de; CHAGAS, M. C. G.; CARVALHO, E. S. de S. Gênero, violência e viver na rua: vivências de mulheres que fazem uso problemático de drogas.Revista Gaúcha de Enfermagem, v.37,n.3,e59876,2016. Disponível em:http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1983-14472016000300418&lng=pt&nrm=iso. Acesso em: 18 fev. 2019.

SOUZA, M.T. de; SILVA, M.D. da; CARVALHO, R. de. Revisão integrativa: o que é e como fazer. Einstein, São Paulo, v.8, n.1, p.102-106, 2010. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/eins/v8n1/pt_1679-4508-eins-8-1-0102.pdf. Acesso em: 20 maio 2019.

TEIXEIRA, S.V.B.; MOURA, M. A. V.; SILVA, L. R. da; QUEIROZ, A. B. A.; SOUZA, K. V. de; NETTO, L. A. Violência perpetrada por parceiro íntimo à gestante: o ambiente à luz da teoria de Levine.Revista da Escola de Enfermagem da USP, v.49,n.6,p.882-889, 2015. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0080-62342015000600882&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 18 fev. 2019.

TUMWESIGYE, N.M.; KYOMUHENDO, G. B.; GREENFIELD, T. K.; WANYENSE, R. K. Problem drinking and physical intimate partner violence against women: evidence from a national survey in Uganda. BMC Public Health, v.12, artigo 399, 2012.

VIEIRA, L.B.; CORTES, L. F.; PADOIN, S. M. de M.; SOUZA, I. E. de O.; PAULA, C. C. de; TERRA, M. G. Abuso de álcool e drogas e violência contra as mulheres: denúncias de vividos.Revista Brasileira de Enfermagem, v.67,n.3,p.366-372, 2014. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-71672014000300366&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 18 fev. 2019.

VIELLAS, E.F.; GAMA, S. G. N. da; CARVALHO, M. L. de; PINTO, L. W. Fatores associados à agressão física em gestantes e os desfechos negativos no recém-nascido. Jornal de Pediatria, v.89, n.1, p.83-90, 2013. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0021-75572013000100013&script=sci_abstract&tlng=pt. Acesso em: 18 fev. 2019.

WARMLING, D.; LINDNER S.R.; COELHO E.B.S. Prevalência de violência por parceiro íntimo em idosos e fatores associados: revisão sistemática. Ciência & Saúde Coletiva, v.22, n.9, p.3111-3125, 2017. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/csc/v22n9/1413-8123-csc-22-09-3111.pdf. Acesso em: 18 fev. 2019.

WITCZAK, I.V.; ACOSTA, M. A. F.; COUTINHO, R. X.; LEITE, M. T. Perdoar verdadeiramente ou agredir novamente: dilemas da violência familiar contra idosos. Revista Kairós Gerontologia, v.19, n.1, p.211-225, 2016. Disponível em: https://revistas.pucsp.br/index.php/kairos/article/view/30055. Acesso em: 18 fev. 2019.

Publicado

2021-09-29

Como Citar

Soares, G. N., Fernandes, M. M., Ko da Cunha, A. M. F., & Souza e Souza, L. P. (2021). Ocorrência de violência intrafamiliar relacionada ao consumo de álcool e outras drogas no Brasil. Revista Brasileira De Segurança Pública, 15(2), 44–73. https://doi.org/10.31060/rbsp.2021.v15.n2.1212