Intervenção federal no Rio de Janeiro

reflexões

Autores

  • Miguel Ramos Exército Brasileiro

DOI:

https://doi.org/10.31060/rbsp.2021.v15.n2.1218

Palavras-chave:

Intervenção Federal, Segurança Pública, Exército, Garantia da lei e da ordem, Forças Armadas

Resumo

A presente pesquisa reflete sobre a Intervenção federal na segurança pública do Rio de Janeiro, ocorrida
em 2018. Foram levantados tanto dados governamentais bem como visões de autoridades diretamente ligadas ao assunto, como a do então comandante do Exército. Buscou-se entender a função do Exército na sociedade e qual a intenção do Estado ao empregar as Forças Armadas no Rio de Janeiro. Como conclusão foi identificado um foco, por parte do Gabinete de Intervenção, na reestruturação da polícia do Estado. Contudo, foi compreendido que não houve um redirecionamento na política de segurança pública, reconduzindo-a a erros históricos de priorização de operações militares no combate ao crime e não a ações direcionadas aos campos que dão origem ao problema.

Biografia do Autor

Miguel Ramos, Exército Brasileiro

Formado em Ciências Militares pela Academia Militar das Agulhas Negras no ano de 2008 e pós-graduado em Ciências Militares na Escola de Aperfeiçoamento de Oficiais no ano de 2019.

Referências

ARENDT, H. Eichmann em Jerusalém: um relato sobre a banalidade do mal. São Paulo: Schwarcz, 1963.

ARRUDA, J. R. O Uso Político das Forças Armadas: e outras questões militares. Rio de Janeiro: Mauad X, 2007.

BAUMAN, Z. Vidas desperdiçadas. Rio de Janeiro: Zahar, 2005.

BRASIL. Congresso Nacional. Lei nº 13.700, de 2 de agosto de 2018. Coleção de Leis da República Federativa do Brasil. Brasília-DF, 2 ago. 2018a.

BRASIL. Decreto nº 9.288, de 16 de fevereiro de 2018. Decreta intervenção federal no Estado do Rio de Janeiro com o objetivo de pôr termo ao grave comprometimento da ordem pública. Diário Oficial da União, Brasília-DF, ed. extra, seção 1, 16 fev. 2018b.

BRASIL. Decreto de 28 de julho de 2017. Autoriza o emprego das Forças Armadas para a Garantia da Lei e da Ordem no Estado do Rio de Janeiro. Diário Oficial da União, Brasília-DF, ed. extra, seção 1, 28 jul. 2017.

BRASIL. Ministério da Defesa. Exército Brasileiro. Departamento de Educação e Cultura do Exército. EB60-ME-12.401. Manual de ensino. O trabalho de Estado-Maior. 1 ed., Brasília, DF, 2016.

BRASIL. Decreto nº 3.897, de 24 de agosto de 2001. Fixa as diretrizes para o emprego das Forças Armadas na garantia da lei e da ordem, e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília-DF, seção 1, p. 66, 27 ago. 2001.

BOURDIEU, P. Sobre o Estado. São Paulo: Schwarcz, 2012. [Título original: Sur l'État: Cours au Collège de France, 1989-1992.].

BOURDIEU, P. O poder simbólico. 11 ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2007.

CAMPELLO, A. B. (Ed.). Manual Jurídico da Escravidão: Império do Brasil. Jundiaí: Paco Editorial, 2018.

CARVALHO, M. A.; DURÃO, M. Exército inicia ação no Rio; em 10 anos, tropa teve de ir às ruas em 1/3 dos dias. O Estado de S. Paulo, São Paulo-SP, 15 fev. 2017. Disponível em: https://brasil.estadao.com.br/noticias/geral,exercito-inicia-acao-no-rio-em-10-anos-tropa-teve-de-ir-as-ruas-em-13-dos-dias,70001666018. Acesso em: 23 mar. 2019.

FLORES, M. C. As Forças Armadas na Constituição. São Paulo: Convívio, 1992.

HUNTINGTON, S. P. O Soldado e o Estado: Teoria e política das relações entre civis e militares. 2 ed. Rio de Janeiro: Biblioteca do Exército, 2016.

ISP – INSTITUTO DE SEGURANÇA PÚBLICA. Governo do Estado do Rio de Janeiro. ISP Dados Abertos. Disponível em: http://www.ispvisualizacao.rj.gov.br/RelPorArea.html. Acesso em: 17 jul. 2019.

LOPES, N.; KAWAGUTI, L. Intervenção no Rio gastou metade da verba de R$ 1,2 bi em armas e veículos. Uol, São Paulo e Rio de Janeiro, 8 mar. 2019. Disponível em: https://noticias.uol.com.br/cotidiano/ultimas-noticias/2019/02/14/gasto-valor-operacoes-intervencao-rio.htm. Acesso em: 17 jul. 2019.

OBSERVATÓRIO DA INTERVENÇÃO. A Intervenção acabou: Quanto custou? Rio de Janeiro: CESeC – Centro de Estudos de Segurança e Cidadania, 2019a. Disponível em: http://observatoriodaintervencao.com.br/wp-content/uploads/2018/12/Infografico09_observatorio_ARTEFINAL_isp.pdf. Acesso em: 17 jul. 2019.

OBSERVATÓRIO DA INTERVENÇÃO. Intervenção Federal: um modelo para não copiar. Ed. especial. Rio de Janeiro: CESeC – Centro de Estudos de Segurança e Cidadania, 2019b. Disponível em: https://drive.google.com/file/d/1UPulZi6XpsK8DQo6c5oVmwUFUhypkOpA/view. Acesso em: 23 mar. 2019.

OBSERVATÓRIO DA INTERVENÇÃO. Quem Somos. Rio de Janeiro: CESeC – Centro de Estudos de Segurança e Cidadania. 2018. Disponível em: http://observatoriodaintervencao.com.br/o-observatorio/quem-somos/. Acesso em: 23 mar. 2019.

PINHEIRO, L. B. Rio: mesmo após ocupação, tráfico persiste na Penha e no Alemão. Terra, Notícias, Rio de Janeiro, 6 fev. 2011. Disponível em: https://www.terra.com.br/noticias/brasil/policia/rio-mesmo-apos-ocupacao-trafico-persiste-na-penha-e-no-alemao,2418cb5c75bda310VgnCLD200000bbcceb0aRCRD.html. Acesso em: 16 jul. 2021.

POLIDÓRIO, V. O mal nos personagens Claudius, Iago, Lady Macbeth e Edmund. Travessias, Cascavel-PR, v. 5, n. 1, p. 460-468, 2011. Disponível em: http://e-revista.unioeste.br/index.php/travessias/article/view/4381/3898. Acesso em: 23 mar. 2019.

RIO DE JANEIRO (Estado). Documento sobre insurreição de escravos estará disponível para consulta online. Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro, 2018a. Disponível em: http://www.tjrj.jus.br/noticias/noticia/-/visualizar-conteudo/5111210/5477860. Acesso em: 16 jul. 2019.

RIO DE JANEIRO (Estado). Portaria Normativa nº 5, de 29 de maio de 2018. Plano Estratégico da Intervenção Federal na Área de Segurança Pública do Estado do Rio de Janeiro. 1 ed. Rio de Janeiro: Gabinete de Intervenção Federal do Rio de Janeiro, 2018b. Disponível em: < http://www.intervencaofederalrj.gov.br/arquivos/plano-estrategico-gif.pdf>. Acesso em: 17 jul. 2021.

RIO DE JANEIRO (Estado). Portaria Normativa nº 22, de 11 de outubro de 2018. Plano Estratégico da Intervenção Federal na Área de Segurança Pública do Estado do Rio de Janeiro. 2 ed. Rio de Janeiro: Gabinete de Intervenção Federal do Rio de Janeiro, 2018c. Disponível em: http://olerj.camara.leg.br/entenda/planorevisado.pdf. Acesso em: 23 mar. 2019.

RODRIGUES, R. I.; ARMSTRONG, K. (Org.). A Intervenção Federal no Rio de Janeiro e as Organizações da Sociedade Civil. Rio de Janeiro: Ipea, 2019.

SEPP, K. I. As melhores práticas de contrainsurreição. Military Review, ed. brasileira, tomo LXXXV, n. 5, set./out. 2005.

SOUZA, C. Políticas Públicas: uma revisão de literatura. Sociologias, Porto Alegre, ano 8, n. 16, jul./dez. 2006, p. 20-45. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/soc/n16/a03n16.pdf. Acesso em: 20 ago. 2013.

SZABÓ, I.; RISSO, M. Segurança pública para virar o jogo. Rio de Janeiro: Zahar, 2018.

VIANNA, O. O Ocaso do Império. 3 ed. Rio de Janeiro: ABL, 2006.

VIEIRA, S. Comandante do Exército reafirma compromisso com a democracia e rechaça 'intervenção militar'. Agência Senado, 22 jun. 2017. Disponível em: https://www12.senado.leg.br/noticias/materias/2017/06/22/comandante-do-exercito-reafirma-compromisso-com-a-democracia-e-rechaca-ideia-de-intervencao-militar. Acesso em: 20 mar. 2018.

VISACRO, A. Guerra Irregular: terrorismo, guerrilha e movimentos de resistência ao longo da História. São Paulo: Contexto, 2009.

UNITED STATES HOLOCAUST MEMORIAL MUSEUM. Adolf Eichmann (artigo resumido). Enciclopédia do Holocausto. Disponível em: https://encyclopedia.ushmm.org/content/pt-br/article/adolf-eichmann-abridged-article. Acesso em: 24 mar. 2018.

Publicado

2021-09-29

Como Citar

Ramos, M. (2021). Intervenção federal no Rio de Janeiro: reflexões. Revista Brasileira De Segurança Pública, 15(2), 262–275. https://doi.org/10.31060/rbsp.2021.v15.n2.1218