Violência Policial no Brasil

Fatores socioeconômicos associados à probabilidade de vitimização

Autores

  • Patrick Allan Ferreira Alves Mestrando em Economia/UFMG
  • Stéffany Costa Jardim Ciências Econômicas/UFV https://orcid.org/0000-0002-7561-6606
  • Pedro Rodrigues Oliveira Ciências Econômicas/UFV
  • Evandro Camargos Teixeira Professor Associado I no Departamento de Economia/UFV https://orcid.org/0000-0002-6470-2103

DOI:

https://doi.org/10.31060/rbsp.2022.v16.n3.1421

Palavras-chave:

Violência policial, Vitimização, Probit

Resumo

O objetivo do presente estudo é analisar a probabilidade de vitimização da violência cometida por policiais no Brasil. Para tal, utiliza-se um modelo Probit para estabelecer relações de probabilidade de os indivíduos serem vítimas mediante alguns fatores socioeconômicos, tais como sexo, raça, escolaridade, idade, renda e local de moradia. Os principais resultados denotam que indivíduos do sexo masculino, pretos ou pardos, que moram em áreas urbanas e possuem baixo nível de escolaridade têm maior probabilidade de serem vítimas da violência policial, enquanto o nível de renda e a região federativa de moradia não foram fatores significativos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Patrick Allan Ferreira Alves, Mestrando em Economia/UFMG

Graduado em Ciências Econômicas pela Universidade Federal de Viçosa. Mestrando em Economia pela Universidade Federal de Minas Gerais.

Stéffany Costa Jardim, Ciências Econômicas/UFV

Graduanda em Ciências Econômicas pela Universidade Federal de Viçosa, bolsista de Iniciação Científica pelo CNPq e aluna pesquisadora vinculada ao CNPq.

Pedro Rodrigues Oliveira, Ciências Econômicas/UFV

Mestrando em Economia Aplicada na Universidade de São Paulo.

Evandro Camargos Teixeira, Professor Associado I no Departamento de Economia/UFV

Possui doutorado em Economia Aplicada pela ESALQ/USP, mestrado em Desenvolvimento Econômico pela Universidade Federal do Paraná (UFPR) e graduação em Economia pela Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF). Atualmente, é Professor Associado II do Departamento de Economia da UFV e trabalha com Desenvolvimento Econômico, particularmente com os seguintes temas: criminalidade, saúde, educação e pobreza.

Referências

AHNEN, R. E. The Politics of Police Violence in Democratic Brazil. Latin American Politics and Society, v. 49, n. 1, p. 141-167, 2007.

ANISTIA INTERNACIONAL. Você matou meu filho! Homicídios cometidos pela Polícia Militar na Cidade do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: Anistia Internacional, 2015.

BEATO, C. C.; PEIXOTO, B. T.; ANDRADE, M. V. Crime, oportunidade e vitimização. Revista Brasileira de Ciências Sociais, v. 19, n. 55, p. 73-90, 2004.

BRASIL, Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD), Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 2009.

BRETAS, M. L. Observações sobre a falência dos modelos policiais. Tempo social, v. 9, n. 1, p. 79-94, 1997.

BRUNSON, R. K.; MILLER, J. Young black men and urban policing in the United States. British Journal of Criminology, v. 46, n. 4, p. 613-640, 2006.

BUENO, S. Trabalho sujo ou missão de vida? Persistência, reprodução e legitimidade da letalidade na ação da PMESP. Tese (Doutorado em Administração Pública e Governo) – Escola de Administração de Empresas de São Paulo, Fundação Getúlio Vargas, São Paulo, 2018.

CASTRO, L. M. A. de. Os determinantes da violência policial: uma análise dos homicídios causados por policiais no Brasil. Dissertação (Mestrado em Administração) – Escola Brasileira de Administração Pública e de Empresas, Fundação Getúlio Vargas, Rio de Janeiro, 2013.

CATÃO, Y. Pesquisas de Vitimização. In: Anais do Fórum de Debates Criminalidade, Violência e Segurança Pública no Brasil: uma discussão sobre as Bases de Dados e Questões Metodológicas. Rio de Janeiro: Ipea/CESeC, jul. 2000, p. 154-167.

DIRLAM, J. Economic Inequality or Racial Threat? The Determinants of Police Strength. Tese (Mestrado em Sociologia) – Ohio State University, Ohio/EUA, 2013.

EITLE, D.; D’ALESSIO, S. J.; STOLZENBERG, L. The effect of organizational and environmental factors on police misconduct. Police Quarterly, v. 17, n. 2, p. 103-126, 2014.

FÓRUM BRASILEIRO DE SEGURANÇA PÚBLICA – FBSP. Anuário Brasileiro de Segurança Pública 2020. São Paulo: FBSP, 2020.

FRYER JR., R. G. An empirical analysis of racial differences in police use of force. National Bureau of Economic Research, Working Paper 22399, 2016.

GABALDÓN, L. G.; BIRBECK, C. Investigación exploratoria sobre la disposición de agentes policiales de usar la fuerza contra el ciudadano. Reunión Grupo Violencia y Sociedad, n. 1, p. 1-20, 2000.

GOUSSINSKY, E. Em ranking mundial de homicídios, Brasil ocupa 13º lugar. Instituto Igarapé, Cidades Seguras, Mídia Brasil, 16 jul. 2018. Disponível em: https://igarape.org.br/em-ranking-mundial-de-homicidios-brasil-ocupa-13o-lugar/. Acesso em: 23 jun. 2022.

GREENE, W. Econometric Analysis. New York: Macmillan Publishing Co./New Jersey: Practice Hall, 6 ed., 2003.

GUJARATI, D. N.; PORTER, D. C. Econometria Básica. 5 ed. Porto Alegre: AMGH, 2011.

HINDELANG, M. J., GOTTFREDSON, M. R.; GAROFALO, J. Victims of personal crime: An empirical foundation for a theory of personal victimization. Cambridge: Ballinger, 1978.

HOLLANDA, C. B. Polícia e Direitos humanos: política de segurança pública no primeiro governo Brizola. Rio de Janeiro: Revan, 2005.

INSTITUTO DE PESQUISA ECONÔMICA APLICADA – IPEA. Atlas da Violência 2020. Rio de Janeiro: Ipea/FBSP, 2020.

JACOBS, D.; O’BRIEN, R. M. The Determinants of Deadly Force: A Structural Analysis of Police Violence. American Journal of Sociology, v. 103, n. 4, p. 837-862, 1998.

LUMSDEN, E. How Much Is Police Brutality Costing America?. Hawaii Law Review, n. 141, 2017.

MADALOZZO, R.; FURTADO, G. M. Um estudo sobre a vitimização para a cidade de São Paulo. Revista de Economia Política, v. 31, n. 1, p. 160-180, 2011.

MESQUITA NETO, P. Violência Policial no Brasil: Abordagens Teóricas e Práticas de Controle. In: PANDOLFI, D. C.; CARVALHO, J. M. de; CARNEIRO, L. P.; GRYNSZPAN, M. (Orgs.). Cidadania, Justiça e Violência. Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas, p. 129-148, 1999.

NUNES, S. B. Trabalho sujo ou missão de vida? Persistência, reprodução e legitimidade da letalidade na ação da PMESP. Tese (Doutorado em Administração Pública e Governo) – Escola de Administração de Empresas de São Paulo, Fundação Getúlio Vargas, São Paulo, 2018.

PAES-MACHADO, E.; NORONHA, C. V. Policing the Brazilian poor: resistance to and acceptance of police brutality in urban popular classes (Salvador, Brazil). International Criminal Justice Review, v. 12, n. 1, p. 53-76, 2002.

SILVA, L. A. M. Polícia e violência urbana em uma cidade brasileira. Etnográfica, v. 15, n. 1, p. 67-82, fev. 2011.

SINHORETTO, J.; SILVESTRE, G.; SCHLITTLER, M. C. Desigualdade racial e segurança pública em São Paulo: letalidade policial e prisões em flagrante. São Paulo: UFSCAR, 2014.

SNYDER, B. L. Policing the Police: Conflict Theory and Police Violence in a Racialized Society. Tese (Mestrado em Sociologia) – University of Washington, Washington/EUA, 2013.

WOOLDRIDGE, J. M. Introductory Econometrics: A Modern Approach. 2 ed. Ohio: South-Western College Pub., 2003.

Publicado

2022-09-26

Como Citar

Allan Ferreira Alves, P., Costa Jardim, S., Rodrigues Oliveira, P., & Teixeira, E. C. (2022). Violência Policial no Brasil: Fatores socioeconômicos associados à probabilidade de vitimização . Revista Brasileira De Segurança Pública, 16(3). https://doi.org/10.31060/rbsp.2022.v16.n3.1421