Representações sociais sobre mulheres em situações de violência por uma equipe multiprofissional

Autores

DOI:

https://doi.org/10.31060/rbsp.2023.v17.n2.1594

Palavras-chave:

Representações sociais, Violência de gênero, Equipe multiprofissional, Políticas públicas

Resumo

As violências contra as mulheres são um dos principais problemas de segurança e de saúde públicas no Brasil. Este estudo tem como objetivo investigar representações sociais sobre mulheres em situação de violência produzidas por uma equipe multiprofissional de um centro de atendimento psicossocial para essa população. Dez participantes responderam a um roteiro de perguntas cujas respostas foram organizadas segundo uma análise de conteúdo temática em duas categorias (Representações sociais sobre produção da violência contra as mulheres e Representações sociais sobre suas percepções de atuações junto às mulheres em situação de violência) analisadas a partir da Teoria das Representações Sociais. Os principais resultados destacam que: as representações sociais das participantes sobre violência de gênero são fundamentais para a estruturação de suas atuações e conduções nos atendimentos; suas representações sociais sobre violência de gênero consideram os determinantes e as consequências sociais deste fenômeno, conferindo-lhes um valor funcional para interpretação e gestão do trabalho; as participantes compreendem a relevância de suas ações no combate à violência de gênero bem como os entraves institucionais para o desenvolvimento de outras ações.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rafael De Tilio, Universidade Federal do Triângulo Mineiro

Docente do Departamento de Psicologia e do Programa de Pós-graduação em Psicologia da Universidade Federal do Triângulo Mineiro. Coordenador do Laboratório de Estudos e Pesquisas sobre Sexualidades e Gêneros (LEPESEGE/UFTM).

Le´tícia Freitas Machado, Universidade Federal do Mato Grosso

Psicóloga graduada pela Universidade Federal do Triângulo Mineiro, com estudos e ênfase em Psicologia Social. Pós-graduanda em Teoria Psicanalítica pela Universidade de Uberaba.

Referências

ALVES, J. S. Violência doméstica contra mulheres e a relação possível com indicadores econômicos e sociais. Revista Brasileira de Segurança Pública, v. 15, n.1, p. 112-121, 2021.

ALVES, R. B.; SILVA, R. D. M.; MENANDRO, M. C. S.; TRINDADE, Z. A. Representações sociais de violência para profissionais da assistência social. Arquivos Brasileiros de Psicologia, v. 69, n. 3, p. 66-82, 2017.

ARAÚJO, S. M. C.; RABELLO, P. M.; SORIANO, E. P.; MOREIRA, M. H. B. A.; BENTO, M. I. C.; ALMEIDA, A. C. Violência contra a mulher: uma revisão da literatura. Research, Society and Development, v. 10, n. 14, e29101421616, 2021.

ARRUDA, A. Teoria das representações sociais e teorias de gênero. Cadernos de Pesquisa, n. 117, p. 127-147, 2002.

BRASIL. Lei Nº 11.340, de 07 de agosto de 2006. Cria mecanismos para coibir a violência doméstica e familiar contra a mulher, nos termos do § 8º do art. 226 da Constituição Federal, da Convenção sobre a Eliminação de Todas as Formas de Discriminação contra as Mulheres e da Convenção Interamericana para Prevenir, Punir e Erradicar a Violência contra a Mulher; dispõe sobre a criação dos Juizados de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher; altera o Código de Processo Penal, o Código Penal e a Lei de Execução Penal; e dá outras providências. Brasília, DF: Diário Oficial da União, 2006.

BUENO, S.; MARTINS, J.; PIMENTEL, A.; LAGRECA, A.; BARROS, B.; LIMA, R. S. Visível e Invisível: A Vitimização de Mulheres no Brasil. 3 ed. São Paulo: FBSP; Datafolha, 2021.

CENTRO DE REFERÊNCIA TÉCNICA EM PSICOLOGIA E POLÍTICA PÚBLICA –CREPOP. Referências técnicas para atuação de psicólogas(os) em Programas de Atenção à Mulher em situação de Violência. Brasília/DF: Conselho Federal de Psicologia, 2013.

CERQUEIRA, C. Atlas da Violência 2021. São Paulo: FBSP, 2021.

CRUZ, S. T. M.; ESPÍNDULA, D. H. P.; TRINDADE, Z. A. Violência de gênero e seus autores: representações dos profissionais de saúde. Psico-USF, v. 22, n. 3, p. 555-567, 2017.

DANTAS-BERGER, S. M.; GIFFIN, K. A violência nas relações de conjugalidade: invisibilidade e banalização da violência sexual?. Cadernos de Saúde Pública, v. 21, n. 2, p. 417-425, 2005.

FÓRUM BRASILEIRO DE SEGURANÇA PÚBLICA – FBSP. Anuário Brasileiro de Segurança Pública 2021. São Paulo: FBSP, ano 15, 2021.

FRANZOI, N. M.; FONSECA, R. M. G. S.; GUEDES, R. N. Violência de gênero: Concepções de profissionais das equipes de saúde da família. Revista Latino-Americana de Enfermagem, v. 19, n. 3, p. 589-597, 2011.

GUERRA, I. C. A opção pelas metodologias compreensivas e diversidade de utilização. In: GUERRA, I. C. Pesquisa qualitativa e Análise de Conteúdo: Sentidos e formas de uso. São João do Estoril, Portugal: Princípia, 2006.

HAJE, L. Governo gastou apenas R$ 5,6 milhões de um total de R$ 126,4 milhões previstos com políticas para mulheres. Câmara dos Deputados, Comunicação, Notícias, 12 jun. 2020.

JODELET, D. Representações sociais: um domínio em expansão. In: JODELET, D. As Representações Sociais. Rio de Janeiro: UFRJ, Faculdade de Educação, 1993.

JODELET, D. O movimento de retorno ao sujeito e a abordagem das representações sociais. Sociedade e Estado, v. 24, n. 3, p. 679-712, 2009.

LIMA, C. A. Redes de atenção para mulheres em situação de violência sexual: análise do caso de Campo Grande/Mato Grosso do Sul a partir das representações sociais de seus gestores. Tese (Doutorado em Saúde Pública) – Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz, Rio de Janeiro, 2014.

LIMA, R. R. Segurança pública e violência contra a mulher: uma revisão narrativa. Revista eletrônica Acervo Científico, v. 10, e2995, 2020.

LIRA, K. F. S. Representação social da violência contra as mulheres: revisão sistemática dos estudos no Brasil. Revista de Psicologia, v. 10, n. 2, p. 25-36, 2019.

MARQUES, E. S.; MORAES, M. H.; HASSELMANN, S. F.; DESLANDES, M.; REICHENHEIM, E. A violência contra mulheres, crianças e adolescentes em tempos de pandemia pela COVID-19: panorama, motivações e formas de enfrentamento. Cadernos de Saúde Pública [online], v. 36, n. 4, 2020. Doi: http://dx.doi.org/10.1590/0102-311X00074420.

MOSCOVICI. S. Representações sociais: investigações em psicologia social. Petrópolis: Vozes, 2000.

NETTO, L. A.; MOURA, M. A. V.; QUEIROZ, A. B. A.; TYRRELL, M. A. R.; BRAVO, M. M. P. Violência contra Mulher e suas Consequências. Acta Paulista de Enfermagem, v. 27, n. 5, p. 458-464, 2014.

OBSERVATÓRIO DA MULHER CONTRA A VIOLÊNCIA – OMV; DATASENADO. Aprofundando o olhar sobre o enfrentamento à violência contra as mulheres. Pesquisa OMV/DataSenado. Brasília: Senado Federal, Observatório da Mulher contra a Violência, 2018.

SANTOS, C. M. Curto-circuito, falta de linha ou na linha? Redes de enfrentamento à violência contra mulheres em São Paulo. Revista Estudos Feministas, v. 23, n. 2, p. 577-600, 2015.

SANTOS, G. L.; GOVONI, A. E.; BITTENCOURT, H. B.; SILVA, J. B.; FEDRIZZI, R. I. Violência doméstica contra a mulher: uma revisão de literatura. Diaphora, v. 9, n. 3, ed. esp., p. 21-26, 2020.

SANTOS, R. G.; MOREIRA, J. G.; FONSECA, A. L. G.; FILHO, A. G. S.; IFADIREÓ, M. M. Violência contra Mulher a partir das Teorias de Gênero. Revista Multidisciplinar e de Psicologia, v. 13, n. 44, p. 97-117, 2019.

SANTOS, W. J.; OLIVEIRA, P. P.; VIEGAS, S. M. F.; RAMOS, T. M.; POLICARPO, A. G.; SILVEIRA, E. A. A. Violência doméstica contra a mulher perpetrada por parceiro íntimo: representações sociais de profissionais da atenção primária à saúde. Revista de Pesquisa Cuidado é Fundamental [online], v. 10, n. 3, p. 770-777, 2018.

SILVA, R. C.; FERREIRA, M. A. Construindo o roteiro de entrevista na pesquisa em representações sociais: como, por que, para que. Escola Anna Nery, v. 16, n. 3, p. 607-611, 2012.

SOUTO, R. B.; DIOTTO, N. Desigualdade de gênero e misoginia: a violência invisível. In: SANTOS, D. T. G.; SOUTO, R. B.; BRUTTI, T. A. (Orgs.). Cidadania, Democracia e Direitos Humanos. Curitiba: CRV, 2018, p. 49-66.

SOUZA, T. M. C.; REZENDE, F. F. Violência contra mulher: concepções e práticas de profissionais de serviços públicos. Estudos Interdisciplinares em Psicologia, v. 9, n. 2, p. 21-38, 2018.

UBERABA. Município. Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social. Centro Integrado da Mulher, 2018.

Publicado

01-08-2023

Como Citar

DE TILIO, Rafael; FREITAS MACHADO , Letícia. Representações sociais sobre mulheres em situações de violência por uma equipe multiprofissional. Revista Brasileira de Segurança Pública, [S. l.], v. 17, n. 2, p. 222–239, 2023. DOI: 10.31060/rbsp.2023.v17.n2.1594. Disponível em: https://revista.forumseguranca.org.br/index.php/rbsp/article/view/1594. Acesso em: 17 jun. 2024.